Hoje é Dia Nacional do Escritor

Jorge Amado foi um dos responsáveis pela data comemorativa

O célebre escritor baiano Jorge Amado (1912-2001) já havia, em 1960, escrito 11 (dos seus 16) romances. Ele era, na ocasião, vice-presidente da União Brasileira dos Escritores (UBE) e teve, juntamente, com o presidente da entidade e imortal da ABL, João Pelegrino Junior (1898-1983), a iniciativa de realizar o 1º Festival do Escritor Brasileiro. Além do evento, um decreto governamental instituiu a data como Dia Nacional do Escritor.

Era uma forma de garantir maior visibilidade ao profissional. Sessenta e um ano depois, promover a literatura ainda é desafio no Brasil. No acervo dos veículos da Empresa Brasil de Comunicação, a memória da vida e da obra de Jorge Amado, que atuou fortemente pela criação dessa data, está disponível em diferentes programas de TV, de rádio e também em publicações transcritas para a internet.

Para visitar o passado de um dos principais escritores brasileiros, o programa Recordar é TV traz imagens feitas de Advogado do Diabo (1986), da antiga TVE do Rio, apresentado por Osvaldo Sargentelli.

Na entrevista, Jorge Amado brinca que escreve o mesmo romance há 50 anos, em vista das recorrências das temáticas, como o povo baiano; a relação com o candomblé, o “coronelismo” e a diversidade cultural brasileira. Além disso, ele trata do período em que foi deputado federal, o amor pela esposa Zélia Gattai e as inspirações para escrever. A própria Zélia, Fernando Sabino, José Cândido e Alfredo Machado aparecem como entrevistadores.

Em 2012, a TV Brasil fez uma série de especiais para celebrar o centenário do escritor Um deles foi o Ver TV, em que especialistas na obra de Jorge Amado detalham o legado do escritor para a literatura brasileira e para toda a representação da cultura nacional. Outro programa da TV Brasil que destacou a história de Jorge Amado foi o De Lá Pra Cá (que foi ao ar em 2011). Outro tema tratado na atração foi a luta contra preconceito.

Obras de Jorge Amado ficaram conhecidas também pelas adaptações para cinema e TV. Gabriela, Cravo e CanelaCapitães de AreiaDona Flor e Seus Dois Maridos, e Tieta do Agreste estão entre os exemplos. No caso de Tieta (que ficou conhecido também em telonas e telinhas), o livro começou a ser escrito em Salvador e foi concluído em Londres. Com 600 páginas, é um das histórias mais longas do autor e traz o complexo panorama social e cultural brasileiro.

Dia da Mulher Negra e Dia das Avós

Este domingo (25) também é Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, e chama à reflexão para os direitos desse grupo. A data foi criada e divulgada internacionalmente em 1992, em Santo Domingo, na República Dominicana. Cerca de 200 milhões de pessoas que se identificam como afrodescendentes vivem na América Latina e no Caribe. Em 2014, no Brasil, foi instituído o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra.

Amanhã (26), será a vez de comemorar o Dia dos Avós, que ganha significado especial neste período de pandemia, em que os idosos tiveram que ficar mais recolhidos em vista dos riscos da contaminação da Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − doze =