‘Herói anônimo’ resgata idoso desaparecido em Niterói

Uma família em desespero devido ao desaparecimento de um idoso de 77 anos, portador de Alzheimer, pôde dormir tranquilamente após a boa ação de um “herói anônimo”. Moizés Martins Lopes, morador do Largo do Marrão, Zona Sul da cidade, saiu de casa, ainda pela manhã de terça-feira (16), desorientado. Por sorte, ele foi resgatado e levado em casa por uma pessoa dotada de um bom coração.

De acordo com o filho de Moizés, o bombeiro militar Mozart Lopes, de 45 anos, o pai saiu de casa por volta das 9h30min, sozinho, sem dizer para onde ia. Ele relata ter mobilizado vários membros da família para procurar o idoso, além de fazer publicações em redes sociais. Por volta das 15h, a boa notícia: a ligação de uma vizinha dizendo que o pai já tinha sido deixado no prédio onde mora.

“Ele desapareceu ontem pela manhã. Fizemos algumas buscas, eu estava no Rio, minha esposa e minha cunhada também se mobilizaram e divulgamos nas redes. Do Largo do Marrão ele foi parar no Centro de Niterói e uma boa alma conseguiu trazê-lo à rua dele. Parece que ele perguntou sobre o Largo do Marrão e a pessoa sentiu que ele estava desorientado e o trouxe”, disse Mozart.

Devido ao Alzheimer, o idoso não conseguiu dar detalhes sobre a pessoa que o resgatou. O “herói anônimo” foi embora antes da chegada dos familiares de Moizés. Mozart demonstra gratidão a essa pessoa, a quem chamou de anjo. O bombeiro também relata o alívio que sentiu ao receber a boa notícia, em meio ao temor de o pai ficar até mesmo dias desaparecido.

“Nossa vizinha que avisou para minha mãe e minha cunhada me avisou. Aí eu vim para casa do meu pai, mas se pergunta muita coisa a ele não sabe explicar. Segundo a vizinha foi um taxista. Foi um herói anônimo, um anjo que o trouxe para casa. Chegamos até a pensar o pior. Quando recebi a ligação foi umas 15h. Estou até avisando as pessoas e agradecendo a todos”, prosseguiu.

Por fim, Mozart afirma que tem vontade de descobrir quem é a pessoa que resgatou o pai e que gostaria de agradecê-la pessoalmente. Ele também afirma que o mundo está precisando de mais amor e empatia. “Gostaria de poder agradecer sim. Se ele aparecer, o que pudermos fazer para agradecer. O mundo está precisando disso, de empatias, mais amor”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × quatro =