Hackers chantageiam Prefeitura de Saquarema

Os hackers que invadiram, no mês passado, os servidores da Prefeitura de Saquarema, agora cobram uma quantia em dinheiro para não divulgar dados pessoais de servidores, documentos financeiros e fiscais do município. Os invasores tiveram acesso a cerca de 35 GB de arquivos. Dentre os dados pessoais de funcionários, estão CPF, endereço, telefone, PIS/PASEP e até tipo sanguíneo. Não foi divulgado o valor cobrado pelos hackers. Um prazo de 10 dias foi dado pelo grupo de invasores.

“Damos 240 horas para nos contatar e cooperar conosco; se não fizerem isso antes desse prazo, pretendemos vazar todos os seus documentos e arquivos importantes, incluindo documentos financeiros, fiscais e de funcionários”, diz o site do Avaddon, ramsonware responsável pelo sequestro dos dados, na dark web.

Para comprovar que, de fato, estão de posse dos dados, o grupo publicou uma amostra grátis de documentos sequestrados. Dentre eles, estão contratos, decisões administrativas, boletos e planilhas de gastos. Até mesmo a ficha cadastral de um funcionário topógrafo morador de Maricá foi exposta sem exibir as informações pessoais. Alguns dos dados divulgados, como contratos e planilhas de gastos, no entanto, já estão presentes para consulta pública no Portal da Transparência do município.

Em nota, a Prefeitura de Saquarema informou que “adotou as medidas necessárias para a segurança e proteção do sistema informatizado e dos dados nele contidos. O fato foi objeto de registro policial e as investigações estão a cargo da autoridade policial competente”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − 2 =