‘Guerra no Santo Cristo’: Polícia identifica membros de facções

Enquanto moradores da região do Fonseca, Zona Norte de Niterói, ainda temem pela “guerra” entre facções criminosas, instaurada no complexo de comunidades do Santo Cristo, a polícia concentra esforços para reprimir a ação de traficantes, que disputam a hegemonia no controle do comércio ilegal de entorpecentes. A Polícia Civil busca mapear quem são os bandidos que estão à frente dos confrontos bélicos. Já a Polícia Militar opta por estratégias que visam ocupar a região com policiamento ostensivo.

Segundo informações de investigações, elaboradas em conjunto pelo Departamento Geral de Polícia do Interior (DGPI), 4º Departamento de Polícia de Área (DPA) e a 78ª DP (Fonseca), os criminosos que estão disputando o controle da localidade já foram identificados. Os policiais civis também já sabem quem são as lideranças do Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP) envolvidas na “guerra do Santo Cristo”.

Ainda de acordo com a instituição, ao longo dos próximos dias a Polícia Civil representará à justiça pedidos de prisão para esses traficantes. Logo que os mandados forem emitidos, deverá ser realizada operação na localidade, a fim de localizar e prender os alvos. A instituição ainda destaca que há um trabalho de integração a fim de pôr fim aos constantes confrontos entre criminosos na região.

Dados preliminares da polícia apontam que, atualmente, as comunidades do Santo Cristo, Palmeira e Coronel Leôncio estariam sob o controle do TCP. Entretanto, uma favela vizinha, a Nova Brasília é território do CV. Com isso, os “vermelhos” estariam usando a região tanto como “ponte” para expulsar a organização criminosa rival, quanto como rota de fuga das operações policiais.

Novos confrontos

A guerra pelo controle dos pontos de venda de drogas, em comunidades do Fonseca, tirou mais uma noite sem sono dos moradores na madrugada de domingo. De acordo com as primeiras informações, traficantes do Rio de Janeiro estariam reforçando a invasão à comunidade do Santo Cristo. Os confrontos começaram por volta da 1h deste domingo. A suspeita da polícia é que homens oriundos de comunidades do Rio de Janeiro estariam dando reforço para a guerra de traficantes que está em curso na comunidade de Santo Cristo, onde o fotógrafo Thiago Freitas foi assassinado no último dia 15.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 17 =