Guerra no Morro do Estado: PM reafirma patrulhamento reforçado

A Polícia Militar frisou que continuará reforçando o policiamento nas comunidades do Morro do Estado, Morro do Palácio e seus entornos, que passam por disputas entre facções criminosas. Apesar da intensificação no patrulhamento, o Conselho Comunitário de Segurança Pública (CCS-AISP 12) classificou as informações de conflitos entre bandidos como “boatos”. Na noite de quinta-feira (26), novos confrontos foram registrados.

A corporação afirmou que “o comando do 12º BPM (Niterói) determinou dar prosseguimento ao policiamento reforçado nas regiões central, sul e norte, salvaguardando os moradores da localidade e buscando aumentar a sensação de segurança. Cabe ressaltar que o batalhão não vem poupando esforços para coibir a atuação de criminosos na região”.

Foto: Vítor d’Avila

Apesar da “guerra”, a comunidade tenta manter sua rotina. Na última quinta e sexta-feira (27), a reportagem de A TRIBUNA percorreu acessos à comunidade e importantes vias de seu entorno. A presença da Polícia Militar, por meio do 12º BPM (Niterói) e da operação Segurança Presente era maciça no Centro da cidade, além de bairros como Icaraí, Ingá e São Domingos. Cabe frisar que, na sexta, comércios funcionaram normalmente.

Na manhã de sexta, havia equipes baseadas na Avenida Visconde do Rio Branco (Plaza Shopping); Praça do Rink, no Centro; Rua José Clemente, no Centro; Rua Fagundes Varela, em Icaraí; Rua Presidente Pedreira, no Ingá; e Praça César Tinoco, no Ingá. As localidades ficam próximas às comunidades do Morro do Estado e também do Morro do Palácio.

As comunidades estariam no epicentro de uma disputa entre grupos criminosos. De acordo com relatos recebidos pela reportagem de A TRIBUNA, a facção Terceiro Comando Puro (TCP) teria retomado o controle do tráfico de drogas no Morro do Estado, que havia sido perdido há cerca de um ano para o Comando Vermelho (CV). Na ocasião, foram registrados vários confrontos entre criminosos rivais.

Tiroteios, roubos e aulas suspensas

Na noite de quinta-feira, circularam informações de que bandidos do TC teriam “autorizado roubos” nas regiões do Ingá e Centro. Além disso, de acordo com a plataforma Fogo Cruzado, houve relatos de tiroteios por volta das 20h30 e as aulas em instituições como a Universidade Federal Fluminense (UFF) teriam sido suspensas. Entretanto, as informações não foram confirmadas de forma oficial.

Alerta para ‘boatos’

Apesar de a Polícia Militar ter intensificado o patrulhamento nos últimos dias, após os relatos de “guerra” entre facções, o Conselho Comunitário de Segurança Pública de Niterói (CCS Aisp 12) divulgou um comunicado na manhã dessa sexta-feira alertando que recebeu “denúncias e manifestações de origem duvidosa”.

Foto: Vítor d’Avila

O Conselho diz que “vem, através deste comunicado, alertar a população que nada deste nível foi constatado pelas nossas autoridades policiais neste período (24/05, 25/05 e 26/05). Estamos em contato constante com representantes da Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Municipal e Segurança Presente recebendo informação em tempo real sobre os índices de criminalidade”.

A instituição ainda complementa que “o 12º BPM vem apresentando nos primeiros cinco meses deste ano (até 24/05) o menor número de roubos de rua da série histórica (desde janeiro de 2003), bem como reduções significativas nos demais indicadores estratégicos de criminalidade. O CCS Aisp 12 repudia o ato de gerar fake news em qualquer situação pois enfraquece a informação e fortalece o caos.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.