Guarda Municipal de Niterói pode paralisar atividades após sexta-feira

Vítor d’Avila

A Guarda Municipal de Niterói poderá paralisar as atividades, após a próxima sexta-feira (12). A categoria aguarda resposta da Prefeitura de Niterói para as reivindicações levantadas durante manifestação, que aconteceu na sexta-feira da semana passada (5).

A principal bandeira defendida é o pagamento do adicional de insalubridade, além da substituição do inspetor-geral Leandro de Vitória Nunes, a quem os profissionais acusam de assédio moral. Segundo os manifestantes, o pagamento nunca foi feito, mesmo tendo previsão em leis federal e municipal.

O presidente do sindicato dos guardas municipais, inspetor Marco Aurélio Fernandes Ferreira, afirmou que, caso nenhuma das reivindicações sejam atendidas, haverá paralisação. “A gente está aguardando até a sexta-feira uma resposta da administração municipal. A categoria não vai recuar dos principais pontos, um deles é a saída do inspetor geral e eleição para a função”, disse.

Ainda de acordo com Aurélio, já foram coletadas opiniões de cerca de 300 guardas, que foram favoráveis a uma eventual paralisação. O presidente do sindicato ainda ressaltou que o movimento possui respaldo jurídico e que novas manifestações poderão ser realizadas.

“Estamos aguardando pronunciamento oficial ao longo dessa semana. Mas já estamos mobilizando os colegas para nnova manifestação e até paralisação se a resposta for negativa. Estamos colhendo as opiniões dos guardas e até agora já temos cerca de 300 positivos para uma possível paralisação. Se [o posicionamento da Prefeitura] for negativo para todos os nossos pleitos, vamos mobilizar até chegar à paralisação dos serviços, por meio do nosso setor jurídico”, concluiu.

Procurada, a Prefeitura de Niterói não respondeu sobre o assunto, até o momento. Assim que o fizer, este texto será atualizado. Na sexta-feira, o Município afirmou que “o diálogo aberto com a categoria é uma das premissas do governo. Nesta sexta-feira, uma comissão de guardas municipais foi recebida pelo secretário Executivo Bira Marques. As reivindicações foram ouvidas e novas reuniões serão agendadas para discussões dos temas. Sobre o pagamento do adicional de insalubridade, o Executivo se comprometeu a estudar uma forma de viabilizar o pagamento o mais brevemente possível. Uma comissão está avaliando cada caso de acordo com os critérios para o pagamento baseados na escala de serviço. A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) esclarece que as reclamações em relação ao Inspetor Geral da Guarda são de quem sofreu algum tipo de sanção. Ninguém recorreu das decisões dele ou entrou com recurso ou processo administrativo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 4 =