Guarda Ambiental de Macaé recebe mais animais na sede do Barreto

Ravena, Estelar, Robin, Mutano e Ciborgue. Os Jovens Titãs, personagens do mundo dos quadrinhos e desenhos animados, foram a inspiração para dar nomes aos cinco filhotes de maritaca entregues, voluntariamente, à sede da Guarda Ambiental, no Barreto. Foi entregue ainda um gavião da espécie Caracara plancus, o carcará, como é conhecido, além de uma serpente da espécie Philodryas patagoniensis, conhecida popularmente como Papa Pinto.

Os cinco filhotes estão bem cuidados pela equipe da guarda para serem devolvidos ao habitat natural. Já o gavião, encontrado no Lagomar, está com a asa quebrada, não conseguirá mais voar e, portanto, não poderá ser solto na natureza. A serpente, resgatada em uma firma próxima ao Parque de Exposição, foi solta, ontem, na região do Parque Natural da Restinga do Barreto.

O biólogo Henrique Abrahão Charles, chefe do Parque do Barreto, explica que os animais resgatados pela Guarda Ambiental são nativos de nossa região. A maioria foi entrega voluntariamente e quem faz dessa maneira pode ficar anônimo, se quiser. Os filhotes estão sendo alimentados com uma papinha específica para psitacídeos. Vão ficar por mais ou menos um mês se alimentando dessa forma até poderem comer alimentos sólidos. Em cerca de seis meses poderão ser reintegrados à natureza. Essa espécie é mais fácil de se asselvajar, observa o biólogo.

Henrique ressalta que há animais próximos a córregos e lagos e, caso avistem algumas espécies próximas a esses ambientes, é preciso deixá-los para que retornem aos seus habitats. “Estamos em um período quente, chuvoso, período reprodutivo e eles estão mais afoitos, saindo mais. Por isso, só chame a Guarda Ambiental se o caso trouxer risco à vida das pessoas ou do animal. Fora isso, pode deixá-lo que ele seguirá seu caminho”, acrescentou.

A construção de um viveiro está sendo planejada na base da Guarda Ambiental para abrigar os animais resgatados. “Será um lugar que os animais permanecem em quarentena, são vermifugados, reabilitados e, quando asselvajados, soltos em algum local no município “, observou.
É importante que as pessoas apoiem a Guarda Ambiental, denunciando práticas ilegais com a fauna. É possível fazer de forma anônima, entrando em contato com a Guarda Ambiental pelo telefone (22) 99701-9770, ou com a Secretaria de Ambiente, no telefone (22) 2762-4802.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *