Grupo furtava óleo dos dutos do Comperj

Augusto Aguiar

Policiais civis da 71ª DP (Itaboraí), coordenados pelo titular da distrital, Oscar Alves, prenderam em flagrante na última sexta-feira (11), Edson Gomes Costa Filho, Gilberto Gil Galeno de Araújo, Claudio Gomes de Oliveira, Waldir de Moura e Renato Luiz da Silva Viana acusados de integrarem a chamada “máfia do óleo”, que atuava no município e furtava óleo de dutos da Petrobras, situados no bairro Sambaetiba, junto ao Complexo Petroquímico do Rio (Comperj).

Após dois meses de intenso trabalho de investigação, os policiais conseguiram chegar ao local em que o óleo era desviado, conseguindo apreender duas carretas já carregadas e uma ainda vazia que estava para ser abastecida com o produto do furto. Os criminosos furtavam o óleo através de uma mangueira colocada em um furo feito em um dos dutos, desviando o fluxo diretamente para as carretas. Em um galpão que servia de depósito para a quadrilha, localizado no bairro de São Joaquim, também em Itaboraí, foi apreendida uma outra carreta usada pelos envolvidos. De acordo com o delegado adjunto Gustavo Aguillar, pelo menos 100 mil litros de óleo estariam sendo furtados no momento em que a polícia surpreendeu o grupo. Também de acordo com informes, depois de abastecidas as carretas seguiriam para o depósito de uma empresa, na Rua Doutor Leal Junior, em Itaboraí, e de lá para outro local que a polícia ainda apura.

“Todos serão autuados pelos crimes de furto qualificado com concurso de pessoas e formação de quadrilha. A investigação vai prosseguir para identificarmos os líderes da organização”, explicou o delegado.

Em outro ponto do Estado, há dois meses, agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) haviam deflagrado uma operação com o objetivo de apreender armas e objetos usados nas execuções de candidatos e pessoas envolvidas em campanhas políticas na Baixada Fluminense. Cerca de 150 policiais das três delegacias de Homicídios (Baixada, Capital e Niterói) participaram da ação, que apreendeu também quatro armas. Dos 14 assassinatos nos últimos 10 meses com motivação política na Baixada, três homicídios de candidatos e de uma pessoa envolvida em campanhas eleitorais tiveram como motivação principal a disputa entre pessoas envolvidas no furto de combustível da Petrobras e integrantes da chamada “máfia do óleo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − nove =