Greve de funcionários do Detran prejudica emissão de RG

Geovanne Mendes –

Os moradores de Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí continuam enfrentando problemas com a greve nos postos de atendimento do Detran. Em cada unidade um algum tipo de serviço está sendo prejudicado, mas um deles vem chamando a atenção e deixando muita gente de cabelo em pé, que é o agendamento e emissão da Carteira de Identificação Civil, único serviço que não está sendo prestado nas quatro cidades por tempo indeterminado.

Mas o que se tornaria um problema pode ser amenizado com um projeto relativamente novo, que autoriza cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais a emitir o documento. O Rio de Janeiro foi o primeiro estado a realizá-lo e uma das cidades é Niterói, seguida de Petrópolis, Cabo Frio, Sapucaia e Araruama.

O projeto deverá crescer aos poucos, aumentando o número de cidades. Maricá, por exemplo, será a próxima da região a oferecer o serviço já no próximo mês. Em quatro meses outras 24 serão contempladas, incluindo São Gonçalo e Itaboraí. como garante Ana Paula Canoza, oficial da 1ª Circunscrição da 3ª Zona de Niterói. Segundo ela, atualmente são realizados cerca de 20 pedidos de documento de identidade por dia, até mesmo pelo serviço ser ainda uma novidade, já que começou no dia 27 de setembro. Porém, ela acredita que esse número deverá dobrar nos próximos dias devido a greve do Detran.

“Vem gente de todas as cidades da região, mas ainda é tudo muito novo e, aos poucos, o número de pessoas irá aumentar. Os alunos que irão fazer o Enem também estão preocupados com a greve, o que se torna outro fator de aumento de demanda”, garantiu a oficial.

Quem perdeu a identidade e precisa da segunda via deve comparecer ao RCPN do Niterói Shopping (Rua da Conceição, 188, sala 1708, Centro), apenas com a certidão de nascimento ou casamento, original e cópia. O restante, foto e coleta das digitais, será feito no próprio cartório.

“A pessoa vai fazer tudo dentro do próprio cartório, até mesmo o pagamento no balcão do Duda no valor de R$ 37,09 e uma taxa de conveniência do cartório, no valor de R$ 27. Depois disso, a pessoa volta no próprio cartório em dez dias para pegar o seu documento de identificação. O melhor de tudo é não precisar mais passar por agendamentos e viagens ao posto do Detran”, concluiu Ana Paula.

Detran
Em nota, o departamento lamentou o transtorno e informou que vem investindo todos os esforços, inclusive com mutirões de servidores concursados, para garantir que o usuário seja atendido nos postos que operam normalmente. “Os clientes que não conseguirem realizar os serviços solicitados poderão retornar à unidade em até uma semana após o fim da sua paralisação, sem necessidade de reagendamento”, informou a nota sem precisar quando a paralisação deverá ser encerrada.

O serviço de vistoria está paralisado em Niterói. Já nos postos de Niterói, Maricá e Itaboraí o serviço de Habilitação estão inoperantes, somente para entrega dos documentos já prontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + três =