Governo do Rio adia em um dia testagem em massa

Augusto Aguiar

O Governo do Estado anunciou na terça-feira (02) que a campanha de testagem em massa da população diante da volta do crescimento dos casos de Covid-19, que começaria nessa quinta-feira (03), foi adiada para sexta-feira (04). O objetivo é que a ação, aliada à oferta para pacientes infectados, possa ajudar a conter o avanço da doença, sem que haja necessidade de colocar em prática o chamado lockdown. Dois dos cinco locais determinados para essa testagem são o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no bairro Colubandê, em São Gonçalo, e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do mesmo bairro.

Na quarta-feira (02), o estado registrou 361.397 casos e 22.764 mortes pelo novo coronavírus. O governador em exercício, Cláudio Castro, ressaltou que a testagem com foco no diagnóstico precoce também será realizada no Hospital Regional do Médio Paraíba Dra. Zilda Arns Neumann, em Volta Redonda. O exame a ser realizado será o PCR, que é feito por via nasal, com uma espécie de cotonete.

Inicialmente, o plano prevê atendimento com 1,5 mil testes por dia, no Heat e na UPA do Colubandê. A ideia é o aumento de unidades na próxima semana. Os testes do tipo RT-PCR serão agendados pelo aplicativo Dados do Bem.

O número de leitos de UTI também serão ampliados para mais 150 nos próximos 15 dias, além dos 112 que já abertos. A Prefeitura de São Gonçalo, que nos últimos dias abriu postos de testagem de Covid-19 devido ao aumento de casos na cidade, informou através de sua assessoria que a cidade encontra-se com 80% da taxa de ocupação dos leitos e que a Prefeitura tem realizado diariamente, em média, cerca de 2,5 mil testes nos postos municipais de atendimento.

Cremerj fala em sobrecarga

Em documento que foi enviado à Secretaria Estadual de Saúde do Rio, o Conselho Regional de Medicina do Estado (Cremerj) afirmou que está ocorrendo uma sobrecarga de trabalho para os profissionais de saúde, pois existe um déficit de médicos e também de medicamentos.

A Comissão de Saúde Pública do órgão divulgou uma nota técnica pedindo medidas imediatas de combate ao aumento do número de casos de Covid-19 no Estado, demonstrando preocupação e alertando para a falta de medicamentos e insumos, sobretudo para o interior do estado, citando as cidades de Friburgo, na Região Serrana, e em Campos, no Norte Fluminense.

“O que nós requisitamos aos gestores é exatamente infraestrutura. São leitos, profissionais de saúde, insumos e recursos materiais necessários para que as estruturas funcionem. Também pedimos a adequação das unidades, algumas têm leitos ainda fechados. Outros, desativados. Essas vagas poderiam usadas durante a pandemia”, explicou o presidente do Cremerj, Walter Palis.

“O Cremerj demonstrou grande preocupação com o cenário atual, visto que muitos médicos têm alertado a entidade sobre uma sobrecarga, nas unidades de saúde, de pacientes com sintomas da doença. O Conselho pede que as autoridades cumpram sua missão em qualquer tempo com o objetivo de impedir ou, ao menos, retardar o aparecimento de novos casos da Covid-19”, completou.

Além disso, o Conselho pede que as autoridades assegurem às equipes de saúde Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para a segurança dos profissionais, assim como a garantia de exames para o diagnóstico, leitos, medicamentos e insumos necessários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =