Centros comerciais poderão funcionar 24h

O governador em exercício, Cláudio Castro, anunciou que, shoppings e centros comerciais estão autorizados a funcionar 24h. O objetivo é reduzir as aglomerações nos estabelecimentos e transportes públicos, principalmente no período de festas fim de ano. A decisão de funcionar ou não no período permitido, ficará a cargo de cada município.

“A pandemia não foi embora, nós vivemos um ano extremamente difícil. Precisamos que o setor produtivo (shoppings, mercados, bares, restaurantes e meios de transporte) se conscientize que, para não haver retrocesso, temos que assumir as nossas responsabilidades. Isso significa fazer distanciamento, fazer o uso de máscara, de álcool gel, a sanitização também é fundamental. Peço também à população em geral que, por favor, evite aglomerações e use a máscara. Essa é uma responsabilidade de todos nós”, afirmou Claudio Castro.

Novas medidas para o enfrentamento da pandemia também foram anunciadas. Entre elas, estão a abertura de 386 leitos exclusivos para tratamento de pacientes da doença no estado, o reforço às ações de fiscalização para conter aglomerações em eventos, a suspensão de cirurgias eletivas de baixo risco e a oferta de tomógrafos para diagnóstico da Covid-19.

Durante entrevista coletiva, no Palácio Guanabara, o governador informou ainda que o estado fechará o ano com saldo positivo de R$ 600 milhões e que esse montante estará reservado para compra emergencial de vacinas contra a Covid-19.

Ideal para o diagnóstico da Covid-19, o Governo do Estado disponibiliza nove tomógrafos que passam a realizar exames de maneira ininterrupta. A medida passa a valer para unidades de saúde de sete cidades de diferentes regiões, incluindo três na capital.

“Quero estabelecer um compromisso com a população. Garanto que se houver qualquer atraso por parte de outros entes o Rio de Janeiro começará a sua vacinação para idosos, grupos de risco e profissionais de saúde. Estamos nos organizando, confiamos nas autoridades federais, mas o Rio de Janeiro não ficará atrás, se houver qualquer atraso nós compraremos as nossas vacinas desde que estejam aprovadas pela Anvisa”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 14 =