Governador do Rio decreta toque de recolher e estipula horário de funcionamento de restaurantes e bares

Raquel Morais

O governador em exercício Cláudio Castro participou na tarde dessa sexta-feira (12) de uma coletiva de imprensa no Palácio Guanabara, onde foram anunciadas algumas medidas de combate e prevenção à propagação da Covid-19. Será anunciado um decreto, feito pelo Governo do Estado junto com prefeitos fluminenses, ainda nessa tarde em edição extra do Diário Oficial. Algumas normativas foram definidas mas as administrações municipais terão autonomia para alterações. As regras terão validade de uma semana e serão sempre revisadas e alteradas ou não e entre elas um toque de recolher das 23h às 5h além de funcionamento de bares e restaurantes até às 23h.

Entre as mudanças estão vedadas a permanência em praças públicas entre 23h e 5h; bares e restaurantes poderão funcionar até às 23h com 50% de capacidade de ocupação; delivery e drive sem limitação horário; são vedados os espaços de pista de dança; bancas de jornais estão proibidas de vender bebida alcoólica; parque e museus só poderão funcionar com 50% de capacidade de lotação assim como academias e casas de festas e recreação infantil. Também foi ampliado o incentivo ao home office para trabalhadores com mais de 65 e pessoas com comorbidades.

Essas normas vão durar até a próxima quinta-feira (18) quando serão anunciadas mudanças ou não. “Vamos dialogando e adequando de acordo com as curvas epidemiológicas. Estamos trabalhando para não termos um colapso. Estamos preventivamente fazendo medidas para não chegar a um colapso. Essas medidas serão revistas semanalmente para termos essas responsabilidades práticas e não do achismo”, frisou o governador.

O funcionamento de bares e restaurantes dependerá de cada prefeitura. O decreto manda até 23h e isso ficará a cargo de cada município. É um horário razoável para as pessoas irem para casa. Essa razoabilidade não faz sentido se a pessoa ficar a tarde toda na rua até a noite. Daremos todo o suporte para as prefeituras”, completou Cláudio Castro.

Sobre as escolas o governador também explicou uma declaração do secretário estadual do Rio, Conte Bittencourt, que anunciou na manhã dessa sexta-feira (12) que a partir de segunda-feira (15) as aulas presenciais seriam suspensas no Rio de Janeiro para os alunos da rede estadual e particular. O secretário confirmou que as aulas seriam onlines a partir de segunda-feira (15) mas essa informação não foi confirmada por Cláudio Castro. “Vamos decidir essa questão das escolas até segunda feira. Eu liguei para o Conte e falei com ele que iríamos decidir isso. Não existe impasse. Não quero fechamento de escola e acho que ela tem que ser a última a fechar e a primeira a abrir. Vamos decidir isso na coletividade e anunciar”, garantiu o governador.

Cláudio Castro também contou que está em negociação com os municípios para a definição da lista que vai participar do consórcio para a compra das vacinas contra a Covid-19. “Iremos entrar em consenso e fazer a nossa parte até a compra. Será uma compra conjunta e quem ficará de frente nessa questão será a Secretaria da Casa Civil junto com a Secretaria de Estado de Saúde. Tudo colaborativo e vamos decidir a capacidade de entrega dialogando com Ministério da Saúde”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + 8 =