GONÇALENSES BUSCAM SOCORRO PARA COVID NA REDE HOSPITALAR DE NITERÓI

O último relatório divulgado pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Niterói e São Gonçalo
(SINDHLESTE) mostra que a cidade de São Gonçalo teve queda de internações em quartos e UTIs nos últimos dias. A cidade de Niterói também teve queda nas internações em leitos comuns, mas em UTI teve um pequeno aumento de um ponto percentual. A dicotomia entre São Gonçalo abaixar os índices, sem isolamento social, pode estar atrelada aos atendimentos dos gonçalenses em Niterói. Especialistas apontam que a rede particular dos hospitais em Niterói atendem, pelo menos, 30% de pacientes de outro município.

A taxa de ocupação da rede privada de Niterói, no dia 12 de abril, foi registrada em 66% nos quartos reservados para Covid-19 e de 86% nos leitos de UTI. No dia 8 de abril, quatro dias antes, a ocupação dos quartos era de 77% e de UTI em 85%. Já em São Gonçalo, nas mesmas datas, o último relatório mostrou que no dia 12 de abril a taxa de ocupação de quartos era de 51% e de leitos de UTI de 91%, contra 75% e 100% respectivamente, referente ao dia 8 de abril.

O SINDHLESTE explicou em nota que, historicamente, o atendimento da rede particular dos hospitais em Niterói, já tende pelo menos 30% de pacientes de outro município. “A rede privada dos hospitais de Niterói, independente da
pandemia, sempre recebeu pacientes de outros municípios. Podemos considerar uma média de 30% de pacientes atendidos historicamente na rede particular de Niterói, provenientes do Leste Fluminense. Nesse sentido, eventualmente temos moradores de São Gonçalo que são atendidos em hospitais de Niterói”, sintetizou Dr. Vinícius Queiroz, presidente do sindicato.

A Prefeitura de Niterói informou divulgou um levantamento do “Monitora Covid19”, iniciativa da Fundação
Oswaldo Cruz (Fiocruz), que desde março de 2020, Niterói teve mais de 37% de seus leitos ocupados por pacientes e outros municípios, contaminados com a doença. Nas internações em UTI, esse número chega a quase 40%. De março de 2020 a fevereiro de 2021, pelo menos 2.113 leitos foram ocupados por pacientes de outros municípios. Desse número, foram 990 casos de UTI, com destaque para quase metade desse número vindo de São Gonçalo (458 casos). Cidades como Itaboraí, Maricá e Rio de Janeiro também exportam pacientes para a cidade. “Temos feito contato com cidades ao nosso redor, estamos dialogando com o Rio e Maricá. O cenário na Região Metropolitana nos deixa em alerta, porque cidades vizinhas, como São Gonçalo, não estão implementando medidas restritivas. Isso faz com que os hospitais lá estejam com 100% de ocupação, e essa demanda chegue à nossa cidade. Hoje, 20% dos leitos de Niterói são ocupados por pacientes que vêm de São Gonçalo”, afirmou Axel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 17 =