Gonçalense pode superar tabu que existe há mais de 40 anos na elite do Carioca

Neste sábado (28), a partir das 15 horas, o Gonçalense Futebol Clube entra em campo no Estádio Alzirão, em Itaboraí, em busca de um feito inédito. O sonho de disputar a primeira divisão do Campeonato Carioca de 2022. Mas para isso, terá que superar um adversário que já teve esse gostinho, o Audax Rio, que esteve na elite nos anos de 2013 e 2014. E mais do que conquistar algo pela primeira vez, a equipe de São Gonçalo pode quebrar um tabu que dura 41 anos. A última vez que um time do Leste Fluminense esteve na primeirona foi a Associação Desportiva Niterói (ADN) em 1980.

Fundado como Manufatura Futebol Clube, em 11 de abril de 1944, o time mudou para ADN em 1978 como tentativa de conquistar mais simpatia entre os torcedores de Niterói para a disputa do primeiro campeonato estadual de futebol que seria organizado no ano seguinte, em 1979, pela então recém-criada Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro. Mas se fora de campo o time queria mais visibilidade, a equipe chamou a atenção por um feito que até hoje os rubro-negros guardam na memória.

Em partida válida pelo Campeonato Carioca de 1979, o primeiro que passou a contar com todos os times do estado em um único campeonato (anteriormente existiam os campeonatos carioca e fluminense), a ADN foi goleada em pleno Estádio Caio Martins pelo Flamengo por 7 a 1. A partida é lembrada até hoje pelo fato de Zico ter marcados seis gols no jogo.

A derrota foi apenas mais uma entre tantas que o time niteroiense levou ao longo da competição. A ADN terminou o 1º turno, a Taça Guanabara, na 17ª e penúltima colocação com apenas 8 pontos, somente à frente do Olaria, o lanterna. Com isso, o time niteroiense disputou o Grupo dos Perdedores. Só que o desempenho foi ainda pior, terminando na última posição com apenas 2 pontos.

No ano seguinte, o time de Niterói precisou disputar uma seletiva onde só os três primeiros colocados conseguiam jogar na elite. Como ficou atrás apenas do campeão, o Olaria, mais uma vez a ADN jogou um Campeonato Carioca da primeira divisão. Mas o desempenho voltou a ser pífio e a equipe ficou na lanterna com cinco pontos, conquistando apenas uma vitória.

Rebaixada para a segunda divisão de 1981, a Associação Desportiva Niterói não teve mais forças para se reerguer e entrou em uma profunda crise financeira. A situação se agravou em 1983 e a equipe optou por encerrar as atividades.

Primeiro campeão fluminense era de Niterói

Mas não foi apenas o Manufatura (antes de virar ADN) que fez história no futebol estadual. A primeira campeã do Campeonato Fluminense foi uma equipe de Niterói. Em 1915, o Ararigboya (grafia da época) foi o vencedor da competição estadual. Além dele, outros times niteroienses venceram o torneio.

O Byron, time do Barreto, conquistou o título em quatro ocasiões, sendo o recordista de títulos: 1917, 22, 24 e 25. Já o Barreto, equipe do bairro homônimo, levou os canecos de 1921 e 23. E outro time da região, o próprio Manufatura, foi campeão em 1958 e 1977.

Niterói foi a cidade que mais teve campões fluminenses até o ano em que o torneio foi disputado, em 1978. Além dos times citados, outros campeões que representaram a Cidade Sorriso nos canecos foram Icaraí (1941, 1943), Ypiranga (1928, 1929, 1930, 1931, 1935), Fluminense de Niterói (1919, 1920, 1930, 1938), Fonseca (1959, 1960, 1962), Odeon (1917), Nictheroyense (1918), Gragoatá (1927), Parnahyba (1916), Elite (1926), Eletrovapo (1964) e Canto do Rio (1933).

Itaboraí passou perto em 2016

Outra equipe da região chegou bem perto do objetivo que o Gonçalense procura a partir deste sábado. O Itaboraí participou do triangular final junto com o Nova Iguaçu e com o Campos, mas fez uma campanha decepcionante.

Com apenas um ponto em quatro jogos, o time desperdiçou a única oportunidade que teve na busca pelo acesso. No ano seguinte, em 2017, o time até chegou a sonhar, quando foi à final da Taça Corcovado, o segundo turno da segundona. Entretanto, numa partida marcada por uma arbitragem polêmica, o time empatou com o America no tempo normal por 2 a 2 e perdeu nos pênaltis por 8 a 7. Desde então, nunca mais o time teve outra oportunidade parecida.

Atualmente, por causa de problemas financeiros, o time está licenciado do futebol profissional desde o início de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 6 =