Golpe do falso amor: STF mantém acusado de ‘estelionato sentimental’ preso

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, negou um Habeas Corpus a um acusado de estelionato “sentimental”. A defesa do suspeito M. F. M. pedia a revogação da sua prisão preventiva. Junto com outras 210 pessoas, ele é investigado no âmbito da Operação Anteros, que apura a existência de organização criminosa cujo objetivo é a extorsão, por meio de conversação por redes sociais e da utilização de perfis falsos, e a prática de lavagem de dinheiro.

Segundo Mendes, a decretação da prisão foi baseada em elementos concretos. Ressaltou, também, que o acusado é réu com mais 210 pessoas e que, conforme a jurisprudência da Corte, a configuração do excesso de prazo, para fins de revogação da prisão, não se verifica apenas a partir do requisito temporal.

 “Deve-se levar em consideração, inclusive, o número de réus na ação penal, como é o caso dos autos”, afirmou o ministro do STF.

Niterói tem casos em alta

A situação de aumento dos crimes de estelionato também acontece em Niterói. Segundo estísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP), nos cinco primeiros meses de 2021, a cidade teve 1.139 ocorrências do tipo contra 752 registros no mesmo período, em 2020. Um crescimento de 51,5%.

Recentemente, a Polícia Civil prendeu um falso “Don Juan” que aplicou golpes em várias vítimas de Niterói. Apesar das mulheres terem endereços niteroienses, o criminoso era moradora de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Ele foi preso no dia 9 de julho por agentes da delegacia de Icaraí, a 77ª DP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.