Golpe da ferramenta na Região Oceânica

Policiais da 81ª DP (Itaipu) registraram denúncias e estão investigando a atuação, sobretudo em bairros da Região Oceânica, de um homem apontado por praticar crimes de estelionato e falsificar notas fiscais ao vender mercadorias, no caso máquinas e ferramentas, adulterando a real marca dos produtos oferecidos e entregando outros de qualidade inferior. Inspetores já receberam imagens, registradas por câmeras de segurança, para identificação do acusado.

Uma das vítimas explicou que no fim da tarde de quarta-feira, o tal vendedor estacionou um veículo, modelo Honda Civic, junto a sua residência, no bairro de Piratininga, onde ofereceu produtos para pessoas que estavam no local. Inicialmente, sem despertar qualquer suspeita, alegou ser representante comercial de uma das marcas líderes no mercado de máquinas e ferramentas para uso residencial e da construção civil. Em 1 - PRODUTO ORIGINALseguida, ofereceu um de seus itens. “Era um martelete e uma parafusadeira, produto muito útil para realização de reparos em residências e empresas. Normalmente esse produto está avaliado em R$ 2,5 mil, segundo a pesquisa que foi realizada. O acusado ofereceu o produto por R$ 1,4 mil. A venda foi concretizada, com o acusado oferecendo uma nota fiscal no valor de R$ 1,9 mil, em nome de uma empresa supostamente situada em Minas Gerais, em tese fornecedora do produto”, explicou a vítima.

“Ele entregou o produto, foi pago o valor, depois o homem ainda ficou conversando, fez inclusive um teste no local com a ferramenta”. Após a venda realizada, o “representante comercial” foi embora, foi constatado que o nome da empresa fornecedora e telefone que constavam na nota fiscal eram inexistentes. Foi um dos indicativos de que algo estava errado. Mais tarde, ao manusearem o produto mais cuidadosamente, as vítimas constataram a fraude. “O bandido se deu mal porque o número do produto da descrição na falsa nota fiscal é diferente do número de série do produto que ele me vendeu. Foi aí que eu peguei e comecei a apurar, até chegar à conclusão da fraude, estelionato e adulteração de produto”, afirmou a vítima. Haviam adesivos da marca líder do mercado aplicados sobre a real marca do produto (de qualidade inferior), até mesmo mais barato que o valor pago pelas pessoas enganadas pelo homem apontado como falsário. No caso da ferramenta adquirida (de baixa qualidade), o real valor de mercado dela seria em torno de R$ 350.

“Isso ocorreu com outras pessoas na cidade. Quando postei o assunto nas redes sociais soube que ele teria oferecido os produtos para pessoas ligadas à construção civil, comerciantes, etc. O preço oferecido por esse homem para as pessoas é bem mais em conta (cerca de 10% abaixo do mercado), mas num primeiro momento não desperta a desconfiança. Através do whatsapp várias pessoas me disseram que o tal golpista tentou oferecer os produtos em outros lugares, como lojas de material de construção. Esse homem tem cerca de 35 anos, usa barba, é magro e usa um veículo modelo Honda Civic”, relatou uma das vítimas, que compareceu na manhã de ontem na 81ª DP para registro de queixa e onde foi apresentado o produto para perícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *