Funcionários dos Correios planejam protesto na RJ-104

Wellington Serrano

Os funcionários do Centro de Distribuição Domiciliar de Alcântara (CDD) e de Tribobó podem parar nesta quarta-feira (08) a RJ-104 em uma passeata caso o resultado da assembleia, que acontece às 8h, seja pela continuação da greve. Pelo menos é o que garante o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintect-RJ), Marcos Sant’aguida. Pelo menos dez bairros do município gonçalense serão afetados pela paralisação no Centro de Distribuição.

Ele disse que se a greve for mantida a passeata pretende sair dos CDDs citados e se concentrar no Complexo dos Correios, que fica no bairro do Colubandê, em São Gonçalo. Os funcionários da empresa estão com serviços paralisados desde a sexta feira passada. O local, segundo sindicato e os próprios empregados, está sobrecarregado de trabalho devido ao déficit de 14 funcionários, além de problemas na infraestrutura da unidade, como falta de água e climatização inadequada.

De acordo com o diretor do Sindicato, os locais não podem receber empregados enquanto os problemas não forem solucionados.
“Os trabalhadores estão em um ambiente insalubre, quente, com poucos ventiladores e a estrutura é péssima. É urgente a mudança imediata para outro prédio mais adequado. Além do mais, a sobrecarga de trabalho por falta de pessoal prejudica a saúde do trabalhador e o serviço prestado a população”, afirma.

Ainda conforme Sant’aguida, caso a greve continue os trabalhadores farão a entrega de uma carta aberta à população expondo os problemas da categoria. “A assembleia na quarta pela manhã será crucial para uma nova atuação na greve”, ressalta. O CDD Alcântara atende a cerca de 10 bairros de São Gonçalo.

Em fevereiro, o CDD chegou a ser autuado pelo Procon porque não havia Livro de Reclamações e certificado de Corpo de Bombeiros.

ITABORAÍ
Funcionários dos Correios de Itaboraí também estão em estado de greve desde o dia 19 de janeiro e confirmaram presença nas manifestações. Os trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho e a adequação do ambiente de trabalho que não é climatizado. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos foi procurada, mas ainda não se posicionou sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *