Funcionários das Barcas ameaçam cruzar os braços

Wellington Serrano –

A uma semana do Carnaval, os funcionários da CCR Barcas – concessionária que administra a travessia marítima Rio-Niterói – anunciaram nesta sexta-feira que podem entrar em greve por falta de reajuste salarial há três anos. Segundo funcionários, eles teriam sido informados que o aumento seria de 1,5%. Mas, a proposta da empresa não foi aceita e a partir da próxima semana eles podem parar.

Segundo informações, representantes de sindicatos estiveram em frente à Estação Praça Arariboia avisando aos usuários do serviço que, durante Assembleia Geral Conjunta, ficou decidido que os servidores estão dispostos a parar a operação “caso a empresa não quite suas pendências”. Entre as reivindicações também estão por melhores condições de trabalho.

A CCR Barcas esclareceu que as negociações com os sindicatos do setor marítimo estão em curso e os termos do acordo ainda estão sendo definidos. A concessionária disse que acredita no diálogo e no consenso para levar as tratativas, brevemente, a um desfecho positivo.
Um representante do Sindicato dos trabalhadores em escritórios de empresas de navegação (Sindesnav), a possibilidade de paralisação pode acontecer, sim. Segundo informações, os reajustes salariais estão desatualizados e não acompanharam os recentes aumentos na tarifa cobrada pela travessia.

Na última quinta-feira (21), após assembleia realizada com as categorias que trabalham na CCR Barcas, os Sindicatos: Nacional dos Condutores da Marinha Mercante e Afins (Sincomam), Nacional dos Mestres de Cabotagem e Contramestres em Transportes Maritimos (Sindmestres), dos Marinheiros e Fluviais (Sindfogo), o Sindicato Nacional dos Marinheiros e Moços em Transporte Maritimo (Sindmarconves) e o Sindicato dos Operários Navais do Estado do Rio de Janeiro (Sonerj), informaram que a proposta encaminhada pela empresa foi recusada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *