Funcionário de loja de armas incendiada será sepultado amanhã no Maruí

O funcionário morto no incêndio da loja de armas Nit Army, da Rua Visconde de Sepetiba, ontem (28) à tarde, será velado e sepultado amanhã de manhã (30) no Cemitério Municipal do Maruí, no Barreto. A data foi escolhida devido a vinda de um parente distante da família da vítima. Funcionários do cemitério pedem pelo bom senso e que sejam evitadas aglomerações por conta da pandemia da Covid-19. De acordo com o advogado do dono do estabelecimento em Niterói, Alexandre Calvet, de 53 anos, era ex- policial militar e possuia habilitação para manusear armas. Segundo relatos, ele estava no andar superior da loja auxiliando atiradores em treinamento e deu ordem para a saída das pessoas enquanto procurava vítimas. Alexandre era levado para o Hospital de Saracuruna, que é referência em queimados na Região Metropolitana, quando faleceu. Ainda segundo o advogado, foi realizada hoje pela manhã uma nova perícia pela Polícia Civil e homens do Esquadrão Antibombas da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) foram até o local para verificar uma denúncia sobre a presença no dia anterior de uma granada na loja.

Um senhor de 74 anos, uma outra vítima do incêndio que ocorreu na loja, se encontra em estado grave. Sebastião Erthal Neto foi socorrido e segue internado no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na mesma cidade. Referência em traumas, o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, em São Gonçalo, recebeu os sobreviventes Everton Gil Passos da Silva, de 33 anos, policial militar lotado na Coordenadoria de Polícia Pacificadora, Willy Jonatan Monteiro de Paula, de 25 anos, e Maurício Torres Ardigo, de 43 anos. Os três seguem estáveis. As informações foram divulgadas pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) hoje pela manhã.

De acordo com informações dos investigadores da 76ª DP (Centro), as chamas se originaram de um curto-circuito no ar-condicionado da sobreloja. Segundo o advogado da loja, Marcelo Aidar, os outros quatro feridos eram clientes da loja.

A rua ficou interditada por 40 minutos no trecho entre as ruas São João e Marechal Deodoro para facilitar o trabalho dos socorristas, sendo liberada pouco antes das 17h. A Defesa Civil informou que não houve danos à estrutura, mas interditou o imóvel. A primeira perícia chegou às 19h20.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =