Freixo deixa o PSOL

O deputado federal Marcelo Freixo anunciou, nesta sexta-feira (11), sua desfiliação do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). O parlamentar estava na legenda desde a fundação, em 2005, quando ele e outros políticos decidiram deixar o Partido dos Trabalhadores (PT). O destino de Freixo deve ser o Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Em pronunciamento divulgado nas redes sociais, Marcelo Freixo recordou pontos importantes de sua trajetória no PSOL, como as CPIs das Milícias, do Tráfico de Armas e Munições e dos Autos de Resistência, as atuações na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e a oposição ao atual governo, de Jair Bolsonaro (sem partido).

Uma das razões apontadas para Freixo deixar a legenda é sua proposta de fazer uma ampla aliança entre partidos de esquerda para as Eleições Gerais de 2022 contra o bolsonarismo. No entanto, uma das filosofias do PSOL tem como premissa não fazer coligações ou alianças com outros partidos em lançamentos de candidaturas.

“Os graves retrocessos institucionais e humanos provocados por Bolsonaro em apenas dois anos de governo impõem novos desafios à democracia e à atuação do campo progressista. É urgente a ampliação do diálogo e a construção de uma ampla aliança com todas as forças políticas dispostas a somar esforços na luta contra o bolsonarismo”, diz trecho do comunicado.

Por fim, o deputado afirma que, mesmo estando em outro partido, manterá as mesmas bandeiras e conta com o apoio do PSOL para resolver “de forma pacífica os problemas do nosso país”. Segundo informações, Freixo pode se candidatar ao Governo do Rio de Janeiro em 2022, pelo PSB, em uma “frente progressista”, com apoio de outros partidos como o PT.

Debandada

A saída de Freixo, que era uma das lideranças do PSOL, intensifica o sinal de alerta no partido que, recentemente, também perdeu o ex-deputado federal Jeal Wyllys para o PT. Há rumores de que outros nomes, como o vereador do Rio de Janeiro Paulo Pinheiro e o deputado estadual Eliomar Coelho, sigam o mesmo caminho de Freixo. A presidência do partido fica a cargo do deputado federal Glauber Braga, que se manifestou sobre a saída de Freixo e afirma não acreditar que o colega de Câmara ficará muito tempo longe do partido.

“Marcelo Freixo anunciou a saída do PSOL. Respeito muito a sua trajetória. Foi um quadro importante pro partido. Me surpreenderá se em menos de dois anos pedir para voltar? Não. Mas aí é outra etapa. O futuro é quem dirá. Politicamente lamento, pessoalmente desejo a sua felicidade”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =