Fracassos provocam fim do ProJovem em São Gonçalo

Wellington Serrano –

A Secretaria de Educação de São Gonçalo confirmou ontem que o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) não será mais adotado no município. O anúncio foi feito após a prefeitura comunicar que o Ministério da Educação (MEC) não responde aos ofícios enviados pela Secretaria para tentar dar prosseguimento ao programa. “Já foi solicitada uma agenda presencial em Brasília para solucionar a questão”, informou a prefeitura em nota.

Alvo de denúncias e suspeitas de irregularidades, o programa, que oferece formação profissional à jovens de baixa renda, enfrenta problemas de gestão há anos. Segundo informações, as constantes paralisações de professores, atrasos nos repasses da bolsa-auxílio e na recarga dos créditos para pagamento do transporte de alunos desestimularam os estudantes, que deixaram de ir às aulas.

A prefeitura ressaltou que a medida de suspender temporariamente o curso foi tomada pois, no momento, o projeto tinha apenas 25 alunos frequentando as aulas nas escolas municipais. As unidades Antônio Carlos Jobim, no bairro Amendoeira, e Presidente João Belchior Marques Goulart, em Tribobó, estavam com o número abaixo do estipulado pelo MEC para custear o projeto.

Segundo informações, as situações estão sendo avaliadas caso a caso e os alunos estão sendo transferidos para outras unidades.

“Como o ProJovem oferecia uma sala de acolhimento para as mães deixarem seus filhos e poder estudar, a Secretaria de Educação teve o cuidado de transferir alunas com essa necessidade para escolas onde existem creches para acolher os filhos enquanto elas estudam. Todos que decidiram continuar seus estudos receberão o Riocard. As escolas para onde os alunos serão encaminhados são Almirante Alfredo Carlos Soares Dutra, em Alcântara; Professora Aurelina Dias Cavalcanti, na Amendoeira; e Raul Veiga, no bairro de mesmo nome. Outra unidade disponibilizada foi o Sesi São Gonçalo, onde os alunos receberão uniformes, os livros escolares e também contarão com sala de acolhimento para os filhos, caso necessitem. O Sest Senat irá fornecer cursos de qualificação para esses estudantes”, disse em nota o Executivo gonçalense.

Sobre as preferências pelas escolas, a prefeitura afirmou que a escolha será feita pelos próprios alunos.

“Não há previsão de retorno do Projovem. Por isso, os alunos estão sendo encaminhados para as escolas com Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os que já foram convocados comparecerão às escolas onde estudavam a fim de pegar o certificado de aproveitamento do programa e o protocolo de Histórico Escolar para efetivarem as matrículas nas escolas de sua preferência, que já estão aguardando-os para que possam continuar os estudos ainda esse ano”, concluiu a prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *