Forças policiais atuam juntas na investigação aos roubos de carga

Integração entre as forças de segurança. Esta é a aposta das polícias Militar e Civil, em São Gonçalo, para resolver o problema da “Rota do Medo”, na qual caminhoneiros são constantemente assaltados, nas adjacências das comunidades do Zumbi e Coréia. Os lucros obtidos com roubos de carga são cada vez mais altos, superando inclusive o próprio tráfico.

Nesta quarta-feira (21), o jornal A TRIBUNA revelou que as Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom) passaram a fazer patrulhamento também em vias estratégicas da cidade, como a Rua Mentor Couto, que dá acesso às comunidades. Para o delegado Leonardo Macharet, titular da 73ª DP (Neves), isto auxilia no processo de investigação.

“Essa rotina qualificada de repressão que a Recom faz é muito importante e, paralelo a isso, o São Gonçalo Presente faz a repressão nas ruas internas, o que qualifica o policiamento e traz maior efetividade para a proteção à mancha criminal e repressão dos delitos. E a Polícia Civil faz a parte de investigação e consegue identificar, prender eatingir a criminalidade em todos os seus focos”, explicou o delegado.

“A atuação de todas as forças de segurança é muito importante, acho que é um dos melhores mecanismos de repressão à criminalidade organizada é a integração de todas as forças. Notadamente, no município de São Gonçalo, há uma integração muito forte entre o 7º BPM, as distritais e, agora, uma integração com o programa Segurança Presente e a Recom. Acho que é um grande mérito essa atuação conjunta”, concluiu.

De acordo com a Recom, responsável pelo patrulhamento intensificado, o comando da corporação identificou uma acentuação da movimentação criminosa em algumas regiões de São Gonçalo. Como parte do planejamento estratégico de atuação, equipes da Recom foram direcionadas para aplicar um policiamento direcionado na região.

“Houve uma priorização nas abordagens de motocicletas e automóveis, o que trouxe como resultado uma evolução no número de prisões, nas apreensões de armas e na recuperação de veículos roubados. Vale ressaltar que todo o trabalho ocorre de forma integrada com o 7º BPM”, frisou Marcelo Malheiros, comandante da unidade.

Missão é reduzir índices

O maior objetivo da integração do patrulhamento é diminuir os índices criminais no município. De acordo com dados mais recentes divulgados pelo Instituto de Segurança Pública, referentes ao mês de fevereiro deste ano, os indicadores da prática estão no mesmo patamar de 2020, antes da pandemia da Covid-19. Segundo o ISP, a cidade registrou, em fevereiro de 2021, 67 ocorrências de roubo de carga, contra 68 casos no mesmo mês, no ano passado.

‘Pivete’

Criminosos daquela região seriam liderados, de acordo com informações da Polícia Civil, por Leilson Ferreira Fernandes, conhecido como “Pivete”. O Portal de Procurados do Disque Denúncia, oferece R$ 1 mil por informações que levem à captura do acusado, que comanda toda a atividade criminosa na região.

Vítor d’Avila

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + treze =