Forças de Federais retornam comunidades de SG

Augusto Aguiar –

Com a constatação de que as regiões onde estão situados os complexos do Salgueiro e Jardim Catarina, apontadas como as mais perigosas de São Gonçalo, precisam de uma atenção especial, o Comando Conjunto, em apoio à Secretaria de Estado de Segurança, deflagrou, desde as primeiras horas da manhã de ontem (29), uma nova operação das Forças Federais. Além de militares do Exército, somaram forças o 1° Distrito Naval (RJ) e a Superintendência de Polícia Federal. Dessa vez até os principais acessos pela Baía de Guanabara foram policiados.

A operação ocorreu no momento em que houve vários relatos da ação de criminosos nas principais entradas da região, sobretudo de roubos de veículos, coletivos, pedestres, além do próprio tráfico de drogas. De acordo com as denúncias, a mancha criminal teria origem na mesma região e estaria se espalhando ao longo da Rodovia Niterói-Manilha (BR-101). De acordo com o Comando Militar do Leste (CML), dois suspeitos morreram em confronto na região.

Um cerco terrestre e marítimo foi montado. O primeiro removeu barreiras novamente erguidas pelo tráfico. Os militares mais uma vez revistaram suspeitos e veículos, com checagem de antecedentes criminais e denúncias. Dessa vez, pelo menos 2.520 militares das Forças Armadas, com o apoio de blindados e aeronaves foram deslocados para região. A força-tarefa marítima foi composta por 300 militares, além de 12 agentes da Polícia Federal, dois navios e 10 embarcações, sendo uma lancha blindada.

Em meio à operação, as tropas e os agentes efetuam a distribuição de folhetos informativos, solicitando a colaboração da população. São oferecidos dois canais: um telefone para denúncias anônimas (2253-1177) e um e-mail para dúvidas, reclamações, comentários e sugestões (ouvidoria.intervencao@cml.eb.mil.br). A operação, segundo o Comando Conjunto, teria por objetivo impactar positivamente cerca de 1 milhão de pessoas, direta e indiretamente, abrangendo uma área terrestre de 32 quilômetros quadrados e marítima, de 61 quilômetros quadrados. O Comando Militar do Leste (CML) informou ainda que o cerco na Baía de Guanabara teve por objetivo reprimir a entrada de drogas e armas através do mar.

Na noite do dia 15 de julho, militares das Forças Armadas, em conjunto com a PM e a Polícia Civil, realizam outra grande operação Complexo do Salgueiro e no Jardim Catarina. Na ocasião, ao todo, participaram da ação 4.300 militares das Forças Armadas, 120 policiais militares e 80 policiais civis, apoiados por blindados, aeronaves e equipamentos de engenharia. Barricadas foram removidas e houve confronto com criminosos armados. Operação se estendeu até o dia 16, quando parte da tropa se retirou mas permaneceram patrulhas realizando trabalho de varredura na área.

Um dos mortos teria atacado a tropa a tiros e o outro furou dois bloqueios e jogou o carro contra os militares duas vezes. Além dos óbitos, foram encontradas drogas no interior do veículo, além de um fuzil, seis pistolas, 11 carregadores, cinco pacotes de munições variadas, três coldres. Quatro motocicletas e duas embarcações foram apreendidas, e outras 26 embarcações abordadas. Três ilhas foram vasculhadas e três mil revistas e checagens de antecedentes realizadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − onze =