Força do lado de cá da poça

O Grupo de Acesso realiza uma das mais fascinantes apresentações dos desfiles das escolas, mesmo elas tendo um orçamento mais modesto que o das escolas do Grupo Especial, ainda mais quando a ordem principal é economizar devido à crise financeira que assola o país, no mundo do carnaval isso não é diferente. Outro fator que deixa o espetáculo do acesso emocionante é a concorrência, que é feroz, uma vez que só uma ganhará o direito de subir para o Grupo Especial no ano seguinte. Quatro escolas de samba da região estão prontas e super competitivas para mudar de grupo. Além disso, algumas alterações no regulamento prometem acirrar a disputa.

Dentre as mudanças, as mais importantes são a diminuição no tempo do desfile das escolas, dos anteriores 82 para 75 minutos para as escolas do Grupo Especial e 55 minutos para as agremiações do Grupo de Acesso, e aumento no número de jurados, de 36 para 50. Um sorteio minutos antes dos desfiles irá definir os 36 julgadores que de fato darão notas às escolas.

Com uma homenagem a uma das grandes divas dos palcos e da dramaturgia brasileira, a Acadêmicos do Sossego vai ser a primeira escola de samba a pisar na Marquês de Sapucaí hoje, às 22h, e trará o enredo Zezé Motta – Deusa do Ébano, que será a inspiração para se consagrar campeã e ir direto para o tão sonhado Grupo Especial. A escola vai contar com 1.800 componentes, em 17 alas e quatro carros alegóricos ajudarão o carnavalesco Marcio Puluker a desenvolver o enredo.

“A ansiedade é de um estreante no Grupo de acesso. A Zezé é fantástica, nos motiva, nos empolga, realmente foi uma grande escolha. Desde a semana passada carros, alegorias, comissão de frente, enfim tudo prontinho. Agora é só curtir e esperar o reconhecimento do nosso trabalho”, comemorou Puluker.

A escola de Pendotiba foi fundada em 10 de novembro 1969 por Odir de Oliveira Costa e Cesar de Melo Loureiro (já falecido).
Inicialmente suas cores eram verde e vermelho, mas já no ano seguinte, quando desfilou pela primeira vez ainda como bloco, num enredo em que homenageava Ari Barroso, passou a adotar as cores vermelho e amarelo. Em 1978, mudou novamente suas cores para os atuais azul e branco e conquistou o campeonato de blocos em Niterói.

Em seguida, às 22h45min, é a vez da escola samba de Copacabana Alegria da Zona Sul invadir a avenida com o enredo: “Vou Festejar… Com Beth Carvalho a Madrinha do Samba”.

Em seguida vem a vermelho e branco Unidos do Viradouro, que deve pisar na avenida às 23h30min. O Carnavalesco Jorge Luiz Silveira vai levar para o sambódromo o enredo “Todo Menino é Um Rei” e promete levantar a Marquês de Sapucaí com muito samba e gingado. A Viradouro vai ter a ajuda de 1.800 componentes na avenida, divididos em 23 alas. Além disso quatro carros alegóricos trarão os destaques da escola.

Fundada em 24 de junho de 1946 por Nélson dos Santos, conhecido por Jangada, apaixonado por samba costumava organizar batucadas no quintal de sua casa em Capitão Roseira, no alto da Rua D. Mário Viana, conhecida como Rua do Viradouro porque naquele local o bonde fazia o retorno. Disputou os desfiles de Niterói por 39 anos (1947 a 1985), porém, nesse período, foi ao Rio de Janeiro algumas vezes (64 e 65), conseguindo não mais que um 26º lugar (último) na terceira divisão.

Em seguida, às 00h15min, a Império da Tijuca entra na Sapucaí com o enredo “Música na Alma, Inspiração de uma Nação”. Já no início da madrugada de sábado, à 1h, é a vez da agremiação União Parque de Curicica dar o ritmo da festa com o enredo “O Importante é Ser Feliz e Mais Nada”. Lodo depois a tradicional escola Estácio de Sá entra no samba as 01h45min com o enredo “E o moleque desceu o São Carlos, pegou um sonho e partiu com a Estácio”. E para fechar o primeiro dia de desfiles será a vez da Acadêmicos de Santa Cruz passear pela avenida, às 2h30min, e trará o enredo “Vou levar somente o que couber no bolso e no coração… Uma viagem de sabedoria além da imaginação…”.

Já no sábado, segundo dia de desfiles do Grupo de Acesso, a Acadêmicos da Rocinha inicia os trabalhos às 22h e trará o enredo “No Saçarico da Marquês, Tem Mais um Freguês. Viriato Ferreira”.

Em seguida, 22h45min será a vez da Acadêmicos do Cubango desfilar. A Escola da Zona Norte de Niterói e que recebe o mesmo nome do bairro trará o enredo “Versando Nogueira nos cem anos do ritmo que é nó na madeira”. A verde e branca terá 1.800 componentes em busca do título. Serão 17 alas e quatro carros alegóricos.

A participação da “Academia Cubango” nos desfiles de Niterói começa em 1960 quando ganhou o tetracampeonato num grupo chamado “Academias”, uma espécie de segundo grupo do carnaval, com o enredo “Sonho das Esmeraldas”. Seu primeiro presidente foi o sambista Ney Ferreira, que até 1966 atuou também como carnavalesco.

A terceira escola a desfilar é a Inocentes de Belford Roxo, às 23h30min e terá como enredo “Vilões – O verso do inverso”. Em seguida, às 00h15min, é a vez da tradicional escola Império Serrano alegrar as arquibancadas com o enredo “Meu Quintal é Maior do Que Mundo”. A Unidos de Padre Miguel vem em seguida, à 1h e o enredo deste ano é “Ossaim: o poder da cura”. A penúltima escola a pisar na avenida é a Renascer de Jacarepaguá, que inicia o seu desfile à 1h45min e o seu enredo é “O papel e o mar”

Fechando os desfiles do Grupo de Acesso, o Tigre de São Gonçalo vai rugir em ritmo das marchinhas, com o enredo “Ó Abre-alas que as Marchinhas vão passar! Porto da Pedra é quem vai ganhar… seu coração!”. A Porto da Pedra visita o passado das grandes marchinhas de carnaval e que foram as fontes de inspiração para o carnavalesco da escola Jaime Cezário. A escola entrará às 2h30min da madrugada. A vermelha e branca de São Gonçalo foi generosa e trará para a avenida 2.200 componentes em 17 alas e quatro carros alegóricos.

Cezário está confiante no trabalho que foi realizado no último ano. Ele acredita que tudo o que era para ser feito já está pronto, o que fica agora é a ansiedade e o coração de toda uma comunidade que deve ser levada para a avenida.

“Se me perguntarem se eu estou nervoso, a resposta é sim. Temos a obrigação de fazer um belo desfile, queremos vencer e ir para o grupo especial e o amor da cidade vai ser fundamental para chegarmos lá”, comentou.

Nos anos 1970, havia em São Gonçalo um clube de futebol chamado Porto da Pedra Futebol Clube, que possuía as cores vermelho e branco e reunia moradores do bairro. Entre estes integrantes, formou-se a ideia de formar um bloco de rua, bloco este que desfilou em 1975 e 1976 pelas ruas da cidade e depois virou escola de samba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *