Fluxo de bicicletas cresce 48% no Centro de Niterói

Aline Balbino

O programa Niterói de Bicicletas realizou um levantamento de contagem da quantidade de bicicletas que circulam por Niterói diariamente. O estudo apontou que na Avenida Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, passam cerca de 1.500 magrelas, no período de 7 h às 19h. A contagem ocorreu no último dia 6 entre as Rua Visconde de Uruguai e Maestro Felício Toledo, registrando um total de 1.556 ciclos. Em contagem similar no ano anterior foram registrados um total de 1.045 ciclos, com um fluxo de 87 ciclos/hora. As contagens feitas na mesma época de cada ano e durante o mesmo período de tempo apontam um crescimento de 48% no número de ciclistas que transitam pela Amaral Peixoto, umas das principais vias da cidade.

Em 7 de dezembro do ano passado, a contagem realizada na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí, onde foi identificada a passagem de bicicletas, o que corresponde a uma frequência de 145,25 bicicletas/hora. A mesma contagem no ano anterior registrou uma frequencia de 86,58 ciclos/hora o que corresponde a 1.039 ciclos passando pelo local durante o mesmo período de tempo. Um aumento que correponde a 67%.

“Este estudo mostra que a bicicleta tem realmente virado opção de transporte para vários moradores de Niterói. Como resultado desta mudança, acreditamos que teremos, num futuro próximo, um espaço urbano muito mais democrático e humanizado, e uma cidade mais verde”, destaca a coordenadora do programa Niterói de Bicicleta, Isabela Ledo.

Mesmo com um aumento expressivo de ciclistas na cidade, ainda falta conscientização de alguns motociclistas e motoristas com relação ao respeito aos ciclistas. Não é difícil ver condutores invadindo as ciclofaixas da cidade. Outro levantamento, desta vez de irregularidades, mostra que na Avenida Amaral Peixoto ocorre uma infração a cada cinco minutos.

Outra reclamação dos ciclistas é com a falta de local ideal para estacionar as bikes. Muitos esperam ansiosamente pela inauguração do bicicletário no Centro.

“Eu comecei a andar mais de bicicleta e evitei a moto e o carro por causa do trânsito que às vezes é muito insuportável. Noto que falta locais para estacionar com segurança. Eu só paro a bicicleta na rua quando o local que vou é próximo porque tenho medo de roubos”, disse o engenheiro, Fernando Fraga, de 36 anos.

Segundo a prefeitura de Niterói, a obra do bicicletário será concluída em até 100 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *