Fluminense não resiste à articulação do Corinthians

O Corinthians entrou em campo na noite desta quarta-feira (21) pressionado pela derrota no Derby contra o Palmeiras, a saída do G4 do Brasileiro e a “zica” que o acompanhava nos últimos mata-matas disputados em Itaquera. Seguro e contando com mais um gol importante do meia Rodriguinho, o time conseguiu superar todas essas dificuldades, fez 1 a 0 sobre o Fluminense e, por ter empatado por 1 a 1 na casa do rival, passou para as quartas de final da Copa do Brasil.

O Alvinegro agora espera o resultado do sorteio, marcado para sexta-feira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O primeiro duelo das quartas de final está marcado para a próxima quarta, dia 28 de setembro, quanto a volta será disputada apenas no dia 19 de outubro.

Os comandados de Fábio Carille agora retomam a caminhada no Campeonato Brasileiro, no qual enfrentam o próprio Fluminense, domingo, no mesmo estádio de Itaquera. Quatro pontos atrás do Santos, primeiro time do G4, as equipes fazem um duelo direto para ver se conseguem se manter na briga por uma vaga na Libertadores.

Revotla
Após o jogo, o vestiário do Fluminense estava tomado pela revolta. O técnico Levir Culpi não economizou nas críticas ao árbitro Rodolpho Toski Marques. Na entrevista coletiva, o treinador do Tricolor das Laranjeiras disse que todos os lances capitais da partida favoreceram o Corinthians. Levir citou a não marcação de dois pênaltis a favor da sua equipe, além da anulação de três gols, quando a arbitragem marcou impedimento de jogadores da equipe carioca.

“Tivemos realmente seis lances importantes para interpretação do árbitro. Seis lances capitais. E o resultado foi de 6 a 0 para o Corinthians. Difícil de acreditar”, revoltou-se o treinador do Fluminense.

O presidente Peter Siemsen também disparou contra a arbitragem. O dirigente tricolor se confessou indignado com os erros, que segundo ele, foram cometidos pelo árbitro contra a equipe carioca. E ele disse que os erros contra o Fluminense se repetem nos jogos disputados em São Paulo.

“Com a mesma facilidade que foram marcados penais contra o Palmeiras na semifinal do ano passado, se tivesse o mesmo rigor de hoje, o Fluminense teria ido para final. Hoje vem outro juiz com interpretação contrária e não marca dois pênaltis para o Fluminense”, disse Siemsen.

Para o presidente tricolor, Sérgio Corrêa deveria, inclusive, repensar a arbitragem brasileira. “Viemos jogar em um estádio lindo, o Corinthians está de parabéns, mas sempre jogamos contra 12 aqui.

O presidente lembrou que o Fluminense voltará a jogar domingo em Itaquera, pelo Campeonato Brasileiro, e espera que a CBF tome providências para que os erros contra a sua equipe não se repitam. “Hoje foi uma vergonha. Acorda, CBF!”, completou, exaltado, o dirigente tricolor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *