Flordelis terá que justificar desligamento de tornozeleira eletrônica

Vítor d’Avila

A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ) terá que justificar por quê a tornozeleira eletrônica, que usa para monitoramento, ficou desligada. O despacho foi publicado, ontem (2), pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal.

De acordo com a magistrada, Flordelis estava ciente de que possui o dever de manter o equipamento operante e devidamente carregado. No despacho, Arce intima que a deputada apresente a justificativa no prazo de 48 horas, portanto, expirando nesta quinta-feira (4).

Além disso, a juíza determinou que a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados forneça “cópia da documentação descritiva das mencionadas violações”. Além disso, Arce solicita que a Mesa informe sobre a possibilidade de os congressistas participarem, atualmente, diante da pandemia da covid-19, de todas as sessões e atos relativos ao mandato de forma virtual.

Procurada para comentar sobre a decisão da juíza, a defesa da deputada Flordelis, representada pelo advogado Anderson Rollemberg, não atendeu às ligações da reportagem tampouco respondeu às mensagens enviadas até o fechamento desta edição.

A informação sobre o desligamento da tornozeleira usada por Flordelis consta em relatório pedido pela juíza à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), no dia 11 de fevereiro. A magistrada solicitou que a Seap enviasse informações sobre o monitoramento realizado desde o dia 8 de outubro, quando a deputada instalou o dispositivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =