Flamengo perde para o São Paulo, mas garante o bicampeonato brasileiro

Em uma rodada eletrizante, com direito a emoção até o último segundo, o Flamengo conquistou na quinta-feira (25) seu oitavo título brasileiro. Mesmo perdendo para o São Paulo por 2 a 1 no Morumbi, o empate em 0 a 0 do Internacional com o Corinthians em Porto Alegre garantiu mais uma taça para a sala de troféus da Gávea. É a segunda vez que o time da Gávea conquista o título duas temporadas seguidas. Antes, o feito havia acontecido em 1982/83.

O Flamengo foi instável na competição. Perdeu oito partidas, empatou outras oito, mas venceu 22 vezes. Em diversos momentos parecia não ter a mesma força de 2019. A instabilidade fez com que o técnico espanhol Domènec Torrent fosse demitido. Em seu lugar assumiu Rogério Ceni, que foi contestado pelas eliminações na Taça Libertadores a América e na Copa do Brasil.

O Rubro-Negro teve diversas chances de assumir a liderança do Brasileirão, mas desperdiçou. Aos poucos, o treinador foi ganhando a confiança do elenco e da torcida. Entretanto, somente na penúltima rodada, quando derrotou o Internacional, chegou ao primeiro lugar. Apesar da instabilidade, o Flamengo terminou o Campeonato Brasileiro com a sua segunda melhor campanha na história dos pontos corridos, desde 2003, ficando atrás apenas da pontuação histórica feita em 2019, quando conquistou a competição com 90 pontos, a melhor campanha do Brasileirão entre todos os clubes.

Assim, a temporada de 2020 é a segunda melhor ano rubro-negro nos pontos corridos. Isso porque, com esta pontuação, o clube carioca superou os números feitos em 2018 e 2016, quando somou 72 e 71 na tabela, respectivamente. Cabe destacar que em 2009, quando foi campeão, por exemplo, somou somente 67.

Por ter sido uma temporada completamente atípica, com um calendário mais enxuto e um ano de pandemia onde tudo foi imprevisível, o campeão Flamengo desta temporada foi mais “modesto” do que o da temporada anterior. Além da paralisação, o fato de jogar sem torcida e o campeonato terminar somente no ano seguinte foram fatores decisivos para que nenhuma equipe se desgarrasse na liderança.

O Brasil continua rubro-negro. O Rio de Janeiro está em festa. O time do povo, do asfalto, da favela, o time de todos é campeão. Como declarou recentemente Rogério Ceni em entrevista, quando o Flamengo vence é a única vitória de uma parcela mais pobre da população. É quando o pobre e o rico, o negro e o branco, homens e mulheres são iguais. Iguais na alegria, iguais no amor pelas cores rubro-negras.

Fluminense – Mesmo com a vitória por 2 a 0 sobre o Fortaleza, ontem, no Maracanã, e a vitória do São Paulo, o Tricolor não conseguiu se garantir na fase de grupo da Libertadores. Os gols da vitória do Flu foram marcados por Fred e Matheus Ferraz.

Rebaixados – No adeus à Série A do Brasileiro, o Vasco ganhou de 3 a 2 em cima do Goiás, em São Januário. Já o Botafogo perdeu para o Ceará por 2 a 1, no Castelão, em Fortaleza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =