Firjan estima investimento de R$ 50 bilhões em óleo

Como maior polo produtor nacional de petróleo e gás, o estado do Rio de Janeiro tem mapeados R$ 50 bilhões em investimentos entre 2021 e 2023 em Exploração & Produção (E&P) e Abastecimento. Os dados são do “Anuário do Petróleo no Rio 2021”, publicação lançada pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Durante o debate on-line, os participantes defenderam o bom uso do petróleo como fonte para a transição energética de baixo carbono.

Em sua 6ª edição, o estudo da Firjan SENAI SESI confirmou que nos primeiros seis meses de 2021, a participação fluminense já alcançou 80% da produção nacional de petróleo. Além disso, o documento destaca que as exportações brasileiras de óleo podem alcançar um volume médio de 3,4 milhões bpd, posicionando o Brasil entre os cinco maiores exportadores de óleo até 2030. O estudo estima ainda mais de 63 mil empregos no mercado de óleo e gás nos próximos três anos.

Por meio de vídeo, o ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque destacou a produção nacional de 2,9 milhões de bpd, tornando o país o 7º maior produtor mundial. Ele afirmou que essa produção irá crescer mais ainda, ressaltando a realização da 17ª Rodada de Concessão, em outubro, e o segundo ciclo de Cessão Onerosa, em dezembro.

Secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, José Mauro Coelho ressaltou que, mesmo com a pandemia, foi possível avançar tanto no REATE quanto no PROMAR. Este segundo programa terá um novo workshop na semana que vem no Norte fluminense, região que será beneficiada com a revitalização dos campos maduros, com reflexo em todo o estado.

Heloisa Borges, diretora da EPE, afirmou que o petróleo terá papel importante na integração com outras fontes de energia para assegurar o desenvolvimento sustentável e baixo teor de carbono. “Hoje temos energia previsível, modicidade e avançamos na integração com a baixa emissão de carbono. O petróleo será importante nesse movimento”, declarou.

O presidente do IBP, Eberaldo de Almeida Neto, também confirmou o avanço da indústria de petróleo no estado e no país, citando a sua importância para a arrecadação de tributos e o desenvolvimento tecnológico. Lembrou que o mercado está num ciclo de oportunidades e que é necessário aproveitar a atração de novos investimentos estrangeiros.

Leandro Eiró

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =