Filho adotivo afirma que Flordelis seria mentora da morte do marido

Um dos filhos adotivos da deputada federal e cantora gospel, Florlelis – Wagner Andrade Pimenta, conhecido como Misael – afirmou que ela teria sido a mentora intelectual do assassinato do pastor Anderson do Carmo, ocorrido em 16 de junho. Em meio a segunda fase da investigação do crime, onde já estão presos outros dois filhos de Flordelis (Flávio, filho legítimo, e Lucas dos Santos, adotivo), Misael teria dito aos policiais que a deputada manipulou os filhos até encontrar quem matasse a vítima. A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), que investiga o crime, já havia se posicionado no sentido de sustentar que a principal circunstância do assassinato seria uma divergência na administração dos bens da família.

Também surgiu a informação que a deputada federal teria sido implicada em depoimentos de outros três filhos adotivos. Há alguns dias, Lucas havia revelado que teria recebido mensagens de celular, aparelho usado pela família, pedindo que o pai fosse morto. Ainda na versão dele, outra filha adotiva do casal, Marzy, o procurou na véspera e ofereceu R$ 5 mil para matar Anderson do Carmo.
“Todo o contexto familiar será investigado nessa segunda fase da investigação”, afirmou, há uma semana a titular da DHNSG, delegada Bárbara Lomba, também referindo-se à Flordelis e deixando claro que o trabalho da especializada não se encerrou com a prisão preventiva de Flávio e Lucas, já transferidos para a carceragem da Penitenciária de Benfica, na Zona Norte do Rio.

Bárbara Lomba havia esclarecido que Flávio e Lucas haviam confessado envolvimento no crime. O primeiro teria efetuado os disparos que mataram a vítima, e o segundo por ter adquirido a arma que foi usada na morte de Anderson do Carmo, comprada por cerca de R$ 9 mil. A assessoria da deputada preferiu não comentar as declarações de Misael.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 2 =