Fenômeno. Série sobre os Beatles atingiu mais de 230,6 milhões de pessoas em poucos dias

Com 60 horas de filmagem e 150 horas de gravação de áudio que resultaram em uma edição de mais de 6 horas divididas em três episódios, a série documental da Disney+ sobre os Beatles já atingiu mais de 230,6 milhões de pessoas no mundo todo, considerando só os meios digitais. O levantamento foi feito pela Decode, especializada em análise de dados.

Lançada no dia 25 de novembro, “The Beatles: Get Back” reúne registros inéditos aos olhos do grande público, com imagens do convívio íntimo da banda mais famosa de todos os tempos a partir do olhar do próprio grupo.

Entre tantas cenas raras e relevantes ali apresentadas, a edição nos leva a testemunhar, por exemplo, os passos do quarteto para o último show da banda e para a gravação do álbum “Let It Be”.

A série já foi tema de 6.685 artigos, entre textos noticiosos ou opinativos em veículos de todos os naipes e idiomas diversos. No Twitter, segundo dados obtidos até o início desta semana, “Get Back” foi mencionada 229 mil vezes, enquanto “Beatles” apareceu em 61.200 tuítes originais. Houve ainda outros 15.300 tuítes sobre “Peter Jackson”.

A viúva de John Lennon, Yoko Ono, foi parar entre os assuntos mais comentados sobre a série na rede de microblogs.

Na produção, ela aparece sentada e quieta ao lado do marido durante horas seguidas de ensaio da banda. Citada em mais de 18.000 publicações na rede social, a viúva de John Lennon é alvo de mais de 90% de críticas negativas, ficando apenas com 6% de comentários simpáticos a ela.

Bem recebida pelos internautas, a série dirigida por Peter Jackson apareceu de forma positiva nos tuítes em 91% das vezes, frente a 7% de comentários negativos e 2% em tom neutro.

Com as revelações sobre a banda feitas pela produção, as buscas por “The Beatles” no Google aumentaram em 240% nos cinco primeiros dias após o lançamento, além do crescimento do número de seguidores nas redes sociais da banda. Só no Instagram, foram 26.146 novos fãs, frente a 8.639 no Twitter.

Paul McCartney representou 42% das menções sobre a banda no Twitter, enquanto John Lennon foi citado em 30% das vezes, seguido por George Harrison, com 19%, e Ringo Star, com 9%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.