Feminicídio no Plaza: acusado tem indícios de psicopatia segundo laudo

A avaliação psiquiátrica de Matheus dos Santos da Silva, acusado de matar a estudante Vitórya Melissa Mota, de 21 anos, em 2 de junho deste ano, no Plaza Shopping Niterói, apontou suspeita de psicopatia. Nesta sexta-feira (3), o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) enviou à reportagem de A TRIBUNA novos detalhes sobre o caso.

O MPRJ explicou porque, assim como a defesa do acusado, pediu instauração de incidente de insanidade mental, o que foi aceito pela Justiça e suspendeu o julgamento, que estava previsto para segunda-feira (6). O órgão afirmou que, antes do acusado ser submetido ao Tribunal do Júri, será fundamental que haja uma avaliação psiquiátrica definitiva, para atestar suas reais condições.

“Com este quadro, considerando que estas avaliações referidas foram preliminares, sucintas e sumárias, não se fazia possível a realização do plenário de julgamento pelo júri popular sem que fosse realizada a perícia definitiva sobre a imputabilidade do acusado, para apurar se, ao tempo dos fatos, tinha capacidade reduzida ou plena de entender o caráter ilícito de sua conduta e de se determinar conforme este entendimento – requisito legal para aplicação da pena”, afirmou o MPRJ.

É importante ressaltar que a avaliação, considerada pela Justiça e MPRJ como preliminar, foi solicitada pela própria defesa do acusado. Antes mesmo de apreciar o requerimento do MPRJ, a juíza titular da 3ª Vara Criminal já havia determinado a instauração do incidente, requerido pela defesa ao juntar o laudo do psiquiatra particular, uma vez que a questão da imputabilidade (capacidade de entendimento) do acusado deve ser objeto de perícia legal, em caso de dúvida, antes de o fato ser submetido a júri popular.

“Realizada a avaliação preliminar, o perito oficial concluiu que o réu não tem necessidade de tratamento psiquiátrico atual, em que pese dispor de ‘tendência ao isolamento e dificuldade de relacionamento social, eventual transtorno de personalidade esquizoide, o que justifica que venha a ser submetido futuramente a sessões de psicoterapia, ainda durante o encarceramento, eventualmente na própria unidade prisional’. O psiquiatra particular assistindo o réu afirmou que ele poderia sofrer deste transtorno de personalidade esquizoide, ou de transtorno de personalidade dissocial ou psicopatia”, frisou o Ministério Público, em declaração enviada ao jornal A TRIBUNA.

Recordando

A Justiça acatou pedido de incidente de insanidade mental a Matheus dos Santos da Silva, de 21 anos, acusado de matar a jovem Vitórya Melissa Mota, de 22, na Praça de Alimentação do Plaza Shopping, no Centro de Niterói, em junho deste ano. Com isso, o julgamento do acusado, que estava marcado para a próxima segunda-feira, foi suspenso. No entanto, o réu permanece preso.

Em 30 de outubro, a reportagem de A TRIBUNA noticiou que o acusado seria submetido a uma avaliação psiquiátrica. Na ocasião, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói, onde corre o processo, cobrou que o procedimento fosse feito com celeridade, para que o laudo final ficasse pronto antes da data marcada para o Tribunal do Júri.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.