Familiares questionam morte de jovens no Cavalão

As famílias dos jovens Wagner Luiz Santana e Jonatan Vieira da Silva, mortos na noite de domingo (25) durante ação da Polícia Militar, na Comunidade do Cavalão, questionam a versão de que os rapazes teriam atirado contra os agentes. O caso está sendo acompanhado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDH) da cidade de Niterói.

De acordo com Raphael Costa, titular da pasta, familiares afirmaram que Wagner tinha envolvimento com tráfico, mas as testemunhas afirmam que ele estava desarmado. Já Jonatan, segundo todas as testemunhas e moradores, não teria envolvimento com tráfico, informou Raphael. Ele seria entregador, teria comprado uma moto semana passada, e foi baleado nas costas.

Ainda segundo o secretário, após a operação da PM, a SMDH foi até o Morro do Cavalão. O órgão informou que acionou a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG) para garantir a perícia. Além disso, houve contato com a Polícia e os Bombeiros, para garantir que os jovens fossem identificados e as famílias comunicadas.

“Confiamos na investigação independente da delegacia de homicídios. Se for comprovada a morte de um jovem inocente, é essencial que não haja impunidade. Precisamos romper com o ciclo de violência que ameaça diariamente a vida dos moradores de comunidades”, afirmou o secretário.

Na manhã de segunda-feira (26), familiares dos jovens prestaram depoimento na sede da especializada, acompanhados pela SMDH. Cabe ressaltar que, após a operação, houve protesto na comunidade, ainda na noite de domingo. A reportagem procurou o comando do 12ºBPM (Niterói) para comentar sobre o caso, mas a unidade afirmou que não tem nada a dizer. Cabe ressaltar que os fuzis usados pelos policiais foram apreendidos para análise. Segundo a polícia, Wagner possui oito anotações criminais e Jonatan uma.

A ação

O domingo (25) terminou ao som de tiros nos acessos à Comunidade do Cavalão, em Icaraí, Zona Sul de Niterói. Suposto confronto entre policiais militares e criminosos terminou com a morte de Wagner e Jonatan e deixou outro jovem ferido. O trânsito chegou a ser interrompido e houve manifestação de moradores da região por conta das mortes. Houve apreensão de armas e drogas.

De acordo com a Polícia Militar, uma equipe do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 12º BPM (Niterói) fazia patrulhamento na região do Túnel Roberto Silveira, próximo à uma das entradas da comunidade, quando encontraram homens armados. Os agentes afirmam que foram recebidos a tiros e revidaram o ataque, iniciando o confronto, que terminou com os três baleados.

O terceiro envolvido, identificado como Wanderson Barbosa da Costa, de 22 anos, foi socorrido ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), e não teve o estado de saúde divulgado. Ainda segundo os militares envolvidos na ação, os homens baleados estariam com duas pistolas, rádio transmissor e drogas variadas, como maconha e cocaína. O batalhão informou que, após o confronto, houve princípio de manifestação na região, por conta das mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × três =