Familiares dizem que fio que matou irmãos estava solto

“Eu mesmo solto pipa desde criança. Nunca vi uma linha 10, que é a que eles usavam, arrebentar um fio de alta tensão. A vizinha falou que já tinha ligado para a Enel para reclamar desse fio”, alegou ontem o Rogério Ramos tio-avô dos irmãos Kayo Gonçalves de Souza Ribeiro, de 2 anos, e Kauã Gonçalves Bittencourt, 14, mortos eletrocutados na tarde de segunda-feira, na comunidade Cerâmica, no bairro Porto do Rosa, em São Gonçalo. Ontem, familiares estiveram no IML de Tribobó para liberar os corpos das crianças. O sepultamento aconteceu às 16 horas de ontem, no Cemitério São Miguel.

De acordo com familiares o fio já estava solto há, pelo menos um mês. Kayo e Kauã brincavam com outros três irmãos em um campo na comunidade e por pouco a tragédia não foi maior. “Foi um milagre não ter acontecido uma fatalidade maior, pois os outros irmãos poderiam ter a intenção de ajudar, já que todos estavam brincando em um campo de futebol”, desabafou o tio-avô.

Familiares relataram que um terceiro irmão soltava pipa quando a linha teria atingido o fio de alta-tensão. O fio então, atingiu Kayo. Desperado, Kauã tentou resgatar o irmão mais novo e acabou também recebendo a descarga elétrica. “Eles estão de férias, brincam no campo todo dia, assim como outras crianças da comunidade. Pelo que os vizinhos contaram, o Ryan (um dos cinco irmãos) estava soltando pipa, e logo assim que a linha bateu no fio, que já estava solto, caiu e pegou o Kayo”, declarou Rogério Ramos.

Ontem assistentes sociais da Enel estiveram no IML de Tribobó e conversaram por cerca de 15 minutos com familiares que visivelmente estavam descontentes com a concessionária. A mãe não esteve presente no local, pois estava na casa de familiares sob efeito de remédios. Em nota, a Enel lamentou o ocorrido e disse que irá prestar apoio aos familiares enquanto apura as circunstâncias do acidente.

“Sobre as possíveis causas do acidente, a empresa esclarece que relatos de moradores, mencionados no boletim de ocorrência sobre o acidente, apontam o cabo de energia teria sido rompido por uma linha de pipa. A empresa seguirá apurando as causas do ocorrido”, informou a empresa.

Em relação ao fornecimento de energia, a concessionária informou que enviou uma equipe ao local assim que tomou conhecimento do acidente, mas os técnicos foram impedidos de acessar a região. “Por medida de segurança, a concessionária interrompeu remotamente o fornecimento de energia na área. Na manhã de hoje (ontem), técnicos da empresa estiveram novamente no local e restabeleceram o serviço”, finalizou a nota da Enel.

O caso está sendo investigado pela 72ª DP (Mutuá). Em nota a Polícia Civil informou que “testemunhas e familiares estão sendo ouvidos e diligências estão sendo realizadas para esclarecer o ocorrido”.

Um comentário em “Familiares dizem que fio que matou irmãos estava solto

  • 16 de janeiro de 2020 em 06:45
    Permalink

    É o RJ falido, cidades falidas, o povo sem direito de ir e vir e crianças sem ter onde brincar. Água podre nas torneiras das residências, tragédias todos os dias pelas ruas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *