Familiares de entregador morto teriam sido ameaçados por PMs

Familiares do entregador Elias Oliveira e moradores da comunidade do Palácio, onde ele vivia, relataram que teriam sido ameaçados por policiais militares que participaram da ação. O órgão municipal está assistindo a família da vítima.

Advogados acompanharam familiares durante liberação do corpo no IML do Barreto

Segundo o advogado Gabriel Garcia, que também faz parte da equipe que acompanha o caso pela secretaria, o próximo passo será manter contato direto com a polícia a fim de provar que Elias não tinha ligação com o crime.

“Vamos trabalhar para que todas as testemunhas sejam adequadamente ouvidas, tenham plena liberdade para falar o que sabem e que seja garantida a segurança dessas pessoas. Além disso, que a Polícia Civil se empenhe na produção das provas.

Já para o secretário municipal de Direitos Humanos, Raphael Costa, “é inadmissível que a gente continue perdendo vidas de jovens como a do Elias. Um jovem trabalhador, querido pela comunidade, morto por falta de uma estratégia de segurança que seja pautada pelo respeito, pela valorização da vida, pela prevenção e pela inteligência. É por isso que a Secretaria de Direitos Humanos, nossa equipe, está prestando assistência aos familiares, o que é muito importante nesse momento, oferecendo orientação psicológica, assistência jurídica e apoio para realização do sepultamento. Mas, acima de tudo, é preciso acompanhar as investigações. É importante que o inquérito seja feito de maneira profunda, que toda situação seja averiguada e que a lei seja cumprida e, o mais importante, que haja responsabilização dos envolvidos. É preciso ter garantias para que mais uma vez prevaleça a impunidades”, finaliza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 11 =