Família tenta provar inocência de jovem preso

A acusação é sobre a autoria de uma saidinha de banco na cidade de Itaboraí em 29 de maio de 2015 resultando em um mandado de prisão no mesmo ano, porém a família de Jefferson Guedes Carolino, de 28 anos, afirma que ele estava trabalhando em uma farmácia em Copacabana, zona sul do Rio. A informação é confirmada pela rede de drogarias. Jefferson foi preso na última sexta-feira (11) enquanto trabalhava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Pediátrica Doutor Walter Garcia Borges, em Duque de Caxias, na baixada Fluminense. O jovem foi levado na tarde do mesmo dia para o Presídio Tiago Teles de Castro Domingues, em São Gonçalo. De acordo com a Polícia Civil, o dono de um restaurante assaltado reconheceu Jefferson.

A família do acusado diz estar reunindo documentos para provar a inocência do jovem. Um desses documentos, mostra que Jefferson trabalhou na época em uma farmácia de manipulação na função de caixa das 9h às 18h 48 no dia do crime. A informação é confirmada na folha de ponto da unidade. A prefeitura de Duque de Caxias informou que Jefferson é contratado e trabalha na UPA pediátrica da cidade.

O advogado contratado pela família informou que irá pedir pela revogação da prisão preventiva. Os familiares do jovem declaram que o reconhecimento do suposto criminoso foi feito através de foto de mídia social.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − seis =