Família de João Pedro encontra munições de fuzil no quintal da residência e PF realizará perícia

Parentes do adolescente João Pedro, de 14 anos, que morreu no dia 18 de maio, ao ser baleado durante operação conjunta de policiais civis e federais no Complexo do Salgueiro, encontraram munição deflagrada de fuzil calibre 5.56 no quintal da residência onde o jovem foi atingido.

De acordo com informações, no dia 24 de junho o tio do menino aparava a grama no quintal da residência, quando encontrou os estojos de calibre 5.56. Os cartuchos foram encaminhados ao Ministério Público, que acompanha as investigações da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG).

Durante trabalho de perícia realizado anteriormente, a polícia já havia enumerado 64 marcas de tiros em diferentes cômodos. O documento registra que o local não foi preservado pela polícia para a perícia. Há quartos desarrumados e marcas de disparos em diferentes cômodos. O MP já está em poder dos estojos e encaminhará para a Polícia Federal, que realizará trabalho de perícia que poderá dizer se o fragmento recolhido do corpo de João Pedro é compatível com alguma das capsulas recolhidas.  São oito estojos de munições de fuzil e o objetivo será o de comparar com os três fuzis que os agentes que estavam na operação portavam ao invadir a residência.

Numa outra perícia realizada na casa onde João Pedro foi baleado foram encontrados munições de calibre nove milímetros, usada em pistolas, e de fuzil calibre 7.62.  Os fuzis, sendo três de calibre 5.56 e um de calibre 7.62 foram apreendidos para realização de confronto balístico. O laudo informou que houve disparos do interior da casa para fora. Três explosivos e uma pistola foram encontrados no quintal da casa. Além disso, o perito havia encontrado munições de fuzil, de calibre 7,62.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.