Faltam produtos para tratamento da conjuntivite em Niterói

Colírio, água boricada e soro fisiológico. A bateria dos principais produtos para o cuidado com os olhos está, em algumas localidades, em falta em Niterói. O motivo? Os altos casos de conjuntivite. Apesar dos muitos relatados da doença, inclusive divulgados por A TRIBUNA, a Prefeitura de Niterói descarta um surto na cidade. Instituições na área de oftalmologia confirmam essa demanda no atendimento, como, por exemplo, na Clinop Instituto de Olhos, onde foi constado aumento em 30% nos casos de conjuntivite no último mês.

O balconista da farmácia Droganews do Centro, Márcio Rezende, confirmou a falta de alguns produtos específicos para o tratamento da conjuntivite. “Vendemos tudo durante esse ‘surto’ e muitos colírios importantes ainda estão em falta”, comentou. A farmacêutica da Drogaria Favorita, em Icaraí, Dilma Ayala também está passando pelo mesmo problema no estabelecimento. “Os colírios antibióticos estão, em sua maioria, em falta no mercado. Agora que estamos começando a receber novas remessas. Mas foi algo que vendeu muito. Além disso os lubrificantes oculares e soro fisiológico também são muito procurados para minimizarem o desconforto que a doença proporciona”, finalizou.

O diretor da Clinop, Rodrigo Pegado, explicou que os casos de conjuntivite aumentaram bastante. “Aquela sensação de ter os olhos queimando e lacrimejando, com coceira frequente, é sinal de conjuntivite. Por ser altamente contagiosa, é comum a disseminação da doença em ambientes de trabalho e locais fechados. O paciente pode ter queixas de dor e olho vermelho, coçar, lacrimejar e a sensação de areia dentro do olho”, pontuou.

Segundo recomendação do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a doença é a inflamação da conjuntiva, parte branca do olho. Existem vários tipos de conjuntivite: viral, bacteriana, alérgica, traumática, tóxica, química, entre outras. Algumas formas de conjuntivite podem apresentar sequelas ou a necessidade de um tratamento mais complexo por isso é importante procurar atendimento oftalmológico ao primeiro sinal do problema. Cada tipo de conjuntivite necessita de uma forma adequada de tratamento, portanto, evite a automedicação e busque o atendimento especializado de um oftalmologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 8 =