Falta fiscalização dentro dos ônibus intermunicipais

O Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) está elaborando um relatório, que será divulgado na semana que vem, sobre os números de trabalhadores contaminados pelo coronavírus. O levantamento está sendo feito com números de todas as empresas de ônibus e a medida chamou atenção dos riscos que a categoria enfrenta no dia a dia. Além disso não só os motoristas são prejudicados como os passageiros que também ficam expostos à doença, já que muitos desses não usam máscaras.

Na manhã de quarta-feira (05), por exemplo, nos ônibus 529 (Niterói / Ceasa) e 531 (Niterói / Jardim Alcântara) muitas pessoas estavam sem máscara dentro dos coletivos.

“Acho que tinha que ter uma fiscalização maior. Eu uso máscara, uso o álcool em gel e tem gente quer não está usando isso. As pessoas tinham que respeitar mais os outros nesse momento. Também já vi muitos ônibus com ar condicionado. Acho que deveriam estar com as janelas abertas”, comentou Rafael Lemos, 48 anos.

O presidente do SintronacRubens dos Santos Oliveira, explicou que o sindicato faz o papel dele que é cobrar das autoridades a fiscalização diante do risco dos rodoviários.

“Inclusive com a proposta do início da pandemia de fim da circulação de dinheiro nos ônibus. As empresas devem fornecer máscaras e álcool em gel para os trabalhadores e o poder público deve fiscalizar para que as medidas sanitárias sejam adotadas. Em Niterói, por exemplo, os vereadores, inclusive da oposição, se preocupam com várias categorias profissionais, menos com os rodoviários, que só podem contar com o sindicato para defende-los. O Sintronac distribui 5 mil máscaras para os rodoviários. Mas ainda é pouco, pois cada rodoviário em um turno normal precisa de pelo menos quatro. É uma categoria essencial, que está abandonada à própria sorte”, frisou.

A Prefeitura de Niterói informou no mês passado que a circulação de ônibus intermunicipais, foi reduzida a 30% da frota. Os ônibus intermunicipais não estão sendo parados nos bloqueios. A orientação aos passageiros sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras estava sendo feita no Terminal João Goulart, no Centro da cidade. Mas questionada sobre o assunto a administração pública não se manifestou sobre o assunto até o fechamento dessa edição.

No final de abril o Sintronac encaminhou um ofício para as empresas de ônibus fornecerem aos motoristas e cobradores itens de proteção contra o coronavírus. A medida foi tomada após a confirmação de contágio de um motorista, Jorge Justino Campos, de 50 anos, pelo coronavírus. O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) foi questionado sobre o assunto e garantiu que está apoiando as empresas de ônibus, que continuam exigindo a utilização de máscara por todos os seus motoristas e colaboradores. Já o Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro) informou que o Governo do Estado ainda não regulamentou a obrigatoriedade do uso de máscaras nas linhas intermunicipais. A medida deve ser adotada nos próximos dias. O atual Decreto já estabelece que os ônibus só trafeguem com passageiros sentados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *