Falsas vagas de emprego são oferecidas em redes sociais

Vítor d’Avila

Após um ano complicado para o mercado de trabalho em 2020, com fechamento de vários postos, o novo ano chega com esperança de recolocação para muitas pessoas. Contudo, um golpe está sendo praticado por meio das redes sociais, mirando esse público. Falsas vagas de emprego, supostamente em grandes redes de lojas, são oferecidas em grupos.

Os anúncios são os mesmos, variando apenas o suposto contratante. As falsas vagas oferecidas são para as funções de repositor, vendedor, auxiliar de estoque, auxiliar de serviços gerais, embalador, auxiliar de logística, operadora de caixa e supervisor.

É publicada uma foto de um suposto cartaz, junto com ela a legenda chama atenção para a possível oportunidade. Todavia, para que seja feita a “candidatura”, o internauta deve entrar num link suspeito, cujo domínio não pertence às empresas mencionadas tampouco à agências de emprego.

De acordo com especialistas, este tipo de prática pode ser usada tanto para obter dados dos usuários da internet ou, na pior das hipóteses, inserir vírus nos computadores ou celulares. No último domingo, diversos grupos de pessoas de Niterói e região foram inundados com publicações do tipo: todas feitas por um mesmo perfil falso, conhecido como “fake”.

Entre as marcas utilizadas de forma indevida, estão redes varejistas como as Casas Bahia, que possui lojas na cidade. O mesmo padrão se repete em supostos anúncios de emprego de outra rede varejista, especializada em eletrônicos, além de um supermercado atacadista, que possui filial em São Gonçalo. Os responsáveis pela seleção de candidatos reiteram que os processos seletivos não funcionam desta forma.

A Via Varejo, empresa que administra a Casas Bahia, informa que apenas divulga as vagas no site oficial da empresa, ou na página oficial do LinkedIn. A Via Varejo orienta ainda que caso recebam vagas e achem suspeitas, os interessados em trabalhar na empresa busquem pelos canais oficiais da companhia.

A Polícia Civil foi procurada e questionada se a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) investiga casos do tipo. Todavia, a corporação não havia respondido, até o fechamento desta matéria.

Pandemia fez empregos recuarem

A pandemia do novo coronavírus foi a principal causa do fechamento de postos de trabalho. Na cidade de Niterói, foram 33.080 admissões contra 38.351 desligamentos. Um saldo negativo de – 5.271 empregos. Em São Gonçalo, foram 25.193 admissões ante 28.680 demissões. Saldo negativo de – 3.487 empregos. Todos os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e foram contabilizados entre janeiro e novembro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 11 =