“PDT será a bola da vez nas eleições do ano que vem”, diz deputado Chico D’ângelo

O deputado federal, Francisco D’Ângelo (PDT), vice líder da oposição indicado pelo partido, fez uma prestação de contas dos 11 meses do seu quarto mandato na Câmara dos Deputados. Durante visita nessa semana a redação de A TRIBUNA ele fez um balanço do seu novo mandato e comentou sobre a atuação dos conjuntos de partidos políticos, emendas, que neste mandato estão direcionadas para a UFF, e a construção da parceria centro esquerda entre PDT, PSB e Rede, na Câmara dos Deputados.

EMENDAS — Segundo ele, devido ao desmonte das universidades no país centralizou suas emendas para ajudar a Universidade Federal Fluminense (UFF). “O governo Bolsonaro deu início a perseguição a educação e ao ver o desespero do reitor Antônio Claudio, que foi em meu gabinete, dos meus R$ 15 milhões, carimbei emendas no valor de R$ 7 milhões para custeio da Universidade, que merece muito mais que isso”, revelou. Campeão de emendas para a cidade de Niterói D’Ângelo enfatizou logo, no início da entrevista, que a cidade, seu principal reduto eleitoral, continua tendo sua atenção. “Na semana de inaugurações durante o aniversário da cidade foi inaugurado o Centro de Imagens e uma pessoa do Largo da Batalha comentou que o vereador Paulo Velasco (PtdoB), na hora do discurso, revelou que os R$ 2,3 milhões usados foram da minha emenda ainda em 2014 que agora entrou e a Prefeitura fez uso”, realçou o deputado.

D’Ângelo deu outros exemplos de suas emendas em Niterói e disse que tem um projeto sobre a Cultura, que inclusive foi sugerida pela classe. “Foi a emenda: ‘Niterói além da Ponte’, que fiz no ano passado e ajudou centenas de músicos e artistas da cidade. Com ela,um grupo de artistas tradicionais de Niterói davam show em outros municípios, mas sempre levando o nome da cidade sorriso”, revelou ele ao ir além e afirmar que também tem emendas para o Museu Nacional do Cinema, que em breve será uma grande conquista de Niterói.

BOLSONARO — Ao falar sobre sua atuação essa semana como relator no Projeto aprovado que proíbe a censura no país o deputado entrou no assunto sobre o presidente da República e disse que ele dizimou às áreas da saúde, cultura e educação e deixou um ponto de interrogação na economia. “Bolsonaro havia censurado alguns jornais das entrevistas coletivas, mas antecipando contra essa inconstitucionalidade aprovamos nessa semana um Projeto de Lei contra a proibição dessa exclusão para o bem da democracia brasileira. É uma questão que tem a ver com o país todo e não vamos aceitar”, enfatizou.

CÂMARA DOS DEPUTADOS — Sobre a Câmara dos Deputados, D’Ângelo afirmou que acompanhou na última semana o bombardeio do PSL contra a ex-lider de Governo Joice Hasselmann e disse que os eleitos na onda Bolsonaro estão arrependidos. “É um negócio impactante. Os deputados que se rebelaram contra o governo, tiveram a vida invadida por fake news e perseguições que atingiram até as suas famílias”, lamentou. D’Ângelo disse que, por essas e outras, dentro da Câmara dos Deputados, Bolsonaro, encolheu absurdamente. “Hoje, temos 130 votos dos deputados da esquerda, 130 votos bolsonaro e 290 votos de deputados que não querem mais ouvir falar do presidente, que confiam no seu taco pessoal”, criticou.

Ao se referir sobre o que está vendo hoje na Câmara, como a cena do deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), que arrancou e destruiu parte de uma exposição do Dia da Consciência Negra, nos corredores da Câmara dos Deputados D’Ângelo disse que o que falta é educação. “Nessa mandato estou vendo isso. Coisas deste padrão contra a cultura que são imagináveis. Fruto um pouco deste cenário de radicalização da sociedade e de pessoas que foram eleitas na onda bolsonarista e que nunca se imaginaram sentadas no Congresso, que é a casa do povo”, lamentou.

Ele ressaltou ainda o papel do presidente Rodrigo Maia (DEM) que dá um bom exemplo. “Ele ainda recupera o respeito da nossa instituição democrática. Ele tem tido esse papel e recuperou o prestígio perante a sociedade. No parlamento é onde toda a sociedade está representada. É nosso papel coordenar as ações da Câmara para construir um estado mais justo”, completou.

PDT — Segundo o deputado, o PDT no campo nacional está num crescimento, querido e procurado. “Triplicamos na bancada federal chegando a 11 cadeiras. Estamos com parceria forte do PSB e da Rede, construindo mais parceria com os partido de centro esquerda e tenho certeza que, com a candidatura de Ciro Gomes, seremos a bola da vez nas eleições de 2020”, frisou. Sobre o PDT municipal, ele disse que o prefeito Rodrigo Neves, que assumiu a presidência, está super cotado. “Temos tudo para voltar a ter um protagonismo”, concluiu.

ELEIÇÕES — Para D’Ângelo, o prefeito Rodrigo Neves, está prontinho para ser o próximo governador e sobre as eleições municipais do ano que vem confirma que seu nome é um dos cotados a ser o candidato do governo a prefeitura de Niterói e diz que Rodrigo deve manter o bloco unido até o fim. “O pessoal tem que apoiar o candidato até o fim. É ruim ter gente espirrando”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *