Expediente nos quarteis é reduzido para racionar gasto com comida

Desde quinta-feira, bombeiros que trabalham no setor administrativo dos quartéis de todo Estado tiveram seus expedientes reduzidos pela metade, por conta da falta de verba para comprar comida. Agentes mostraram que em alguns quartéis há a falta de comida e militares que prestam o atendimento a população estão apreensivos, denúncias apontam que bombeiros que trabalham em escalas de 24 horas estão ficando sem alimentação por mais de 10 horas.

“A ordem está em vigor desde ontem [quinta-feira], em todo o Estado, inclusive nos quartéis de Niterói, São Gonçalo e região. Todos os quartéis estão com suas contas bancárias zeradas. Algumas unidades estão sem condições de fornecer o básico; como café da manhã, um suco, um lanche da tarde. Além disso, existe a ordem para que os bombeiros economizem combustível”, contou Mesac Eflain, presidente da Associação de Bombeiros Militares do Rio de Janeiro (Abmerj).

A ordem veio na noite de quarta-feira no boletim interno da corporação, que informou que expediente administrativo, antes das 8h às 17h, fora reduzido para 8h as 12h para economizar comida. Além disso, cursos foram reduzidos, como “Instrução técnico-profissional” e “Treinamento físico militar” foram suspensos.

A Corporação informou que a redução do expediente acontece somente no setor administrativo e não afeta a população. Porém, de acordo com Mesac, bombeiros – que trabalham diretamente no socorro a população – tem procurado a Associação para relatar que estão ficando várias horas sem alimentação.

“Agentes procuraram contando que ficam a noite toda sem receber uma única alimentação e isso implica diretamente na condição de atendimento a população. Um bombeiro que não se alimenta corretamente não pode estar 100% para atender a população”, relatou o presidente da Abmerj.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =