Exército e Defesa Civil realizam vistoriam local onde pedra se soltou em Jurujuba

Técnicos da Defesa Civil de Niterói estiveram na terça-feira (23) no local do desprendimento de rocha, na encosta da Estrada Eurico Gaspar Dutra, no acesso à Fortaleza de Santa Cruz, em Jurujuba. Uma enorme placa rochosa se desprendeu e caiu na via e também no mar na segunda-feira e desde ontem começaram as análises do acidente. Juntamente com o Exército Brasileiro o levantamento está levando em conta possibilidade de novos deslizamentos, além do cronograma para retirada dos escombros.

O desprendimento da rocha aconteceu no final da tarde de segunda-feira e a pista estreita ficou completamente interditada. As causas do acidente não foram informadas, mas o Exército confirma a estrada não estava em obras.

“Ontem (segunda-feira), a Defesa Civil foi acionada por volta das 17h30 e viemos de imediato ao local com nossa equipe técnica e, por conta da deficiência de visibilidade, pois já estava anoitecendo, nós priorizamos o isolamento de forma preventiva para evitar que as pessoas se aproximassem do local. Em conjunto com as equipes do exército, faremos uma análise bastante detalhada para garantir a segurança. Vamos iniciar, o mais rápido possível, toda intervenção necessária para desobstruir a passagem”, explicou o secretário da Defesa Civil, Walace Medeiros.

Ontem a equipe técnica esteve no local e utilizou até mesmo um drone para visibilidade total da área.

“O drone nos deu uma visão aérea mais detalhada, para identificar, de imediato, as partes que já se desprenderam e se elas estão instáveis e se há possibilidade de novos deslocamentos de material”, completou Walace.

O Comando Militar do Leste informou que a remoção do material será realizada em um trabalho conjunto do Exército com a Defesa Civil. No momento do acidente não havia movimentação na via e não houve feridos. As demais intercorrências referentes ao evento estão sendo apuradas e sanadas. Após avaliação geral da Defesa Civil, foi autorizado o início de trabalho de remoção das rochas deslocadas. Os miliares já estão trabalhando para desobstruir a entrada da Fortaleza de Santa Cruz.

“Nossas equipes estão em contato e vamos agir em conjunto com o Exército para retirar o material do local. Na tarde de hoje (ontem), já vamos enviar o caminhão para remover parte das rochas que se desprenderam da encosta e desobstruir parte do trecho”, contou o secretário de Obras, Vicente Temperini.

Segundo nota da Prefeitura, a vistoria realizada mostrou que o local está com grande obstrução e que não será possível remover tudo de uma vez. Além disso, parte do chão foi danificado. O trabalho de remoção parcial vai possibilitar, temporariamente, apenas passagem de pedestres. Não há um prazo para que o local esteja totalmente liberado.

Recentemente a Prefeitura de Niterói realizou obras de revitalização da orla de Jurujuba e no acesso da praia de Adão e Eva, além de ter um projeto para alargar a via. De acordo com a Fundação Cultural Exército Brasileiro (Funceb) a Fortaleza de Santa Cruz da Barra é o segundo ponto turístico mais visitado de Niterói. Com arquitetura impressionante, atrai turistas e pesquisadores em busca de lazer e história. Foi durante os períodos de colônia e império brasileiro a principal estrutura defensiva da Baía de Guanabara e do Porto do Rio de Janeiro. Guarnecida até os dias de hoje, a Fortaleza atrai uma média de dois mil visitantes por mês, em visitas guiadas, de hora em hora, com a duração de cerca de 45 minutos. Atualmente, é a sede da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 − 5 =