Excesso de feriados deixam academias em impasse por reabertura em Niterói

Desde o último dia 25 de março que profissionais de educação física e funcionários de academia de ginástica de Niterói esperam poder voltar a trabalhar normalmente, mesmo com medidas de restrição. Isso porque nessa data a Câmara de Vereadores aprovou um projeto de lei que reconhece as acadêmias de ginástica como parte das atividades essenciais, podendo assim, funcionar mesmo que medidas restritivas sejam adotadas na cidade.

O problema é que, devido a um acesos de feriados seguidos devido ao “superferiado” do recesso sanitário promovido pelo governo do Estado, do prazo de 15 dias úteis previsto no regimento interno na Câmara para que o projeto fosse avaliado pelo prefeito Axel Grael, apenas cinco dias se passaram. Isso se deu porque entre os dias 26 de março e 4 de abril todos os dias que seriam úteis foram transformados em feriados especiais. A partir dessa conta, só se passaram cinco dias úteis desde a aprovação do projeto, contados a partir da última segunda-feira (5). Desta forma, ainda restam duas semanas para o cumprimento do prazo.

Para pressionar o poder executivo municipal, o Conselho Regional de educação Física, por meio da Comissão Regional de Niterói, enviou uma carta nesta sexta-feira (9) para o prefeito Axel Grael (PDT) com o reafirmando que a prática de atividade física é fundamental para enfrentamento a moléstias, principalmente o novo coronavírus. Além dos benefícios amplamente conhecidos pelo senso comum, deve-se destacar que as principais comorbidades evidenciadas nos grupos de riscos (melhor idade, obesidade, problemas cardíacos, respiratórios etc.) são combatidas por tais atividades. Sendo assim, resta evidente que os estabelecimentos que prestem tais serviços sejam entendidos como essenciais para o enfrentamento tanto do mal quando de suas consequências.

Para Luciano Gomes, presidente da Comissão Regional de Niterói, lembra que já ocorreu a abertura do setor em cidades vizinhas, como Maricá e Rio de Janeiro, e que Niterói segue como o único município que os estabelecimentos seguem fechados. “A carta tem o objetivo de pleitear uma reabertura do setor mesmo sem mudança de fase do indicador síntese, baseado no fato de acompanhar a reabertura de outros segmentos nesse momento. Podemos inserir protocolos mais rígidos nesse momento até a mudança de fase mas ficou impossível não reabrir”, afirmou.

Caso sancionado, as academias passam a poder atuar desde que respeitando uma lotação de 40% da ocupação. Contudo, caso o projeto seja vetado, as academias seguem fechadas. A Câmara de Vereadores ainda pode derrubar o veto, mas como a próxima sessão se dará apenas no próximo dia 6 de abril, a medida valeria apenas para as próximas medidas de restrição. Até o fechamento desta edição, o poder executivo não respondeu se pretende sancionar ou vetar a medida.

De acordo com o novo decreto publicado neste sábado (10), com uma atualização das medidas restritivas adotadas na cidade, a abertura das academias de ginástica seguem fora dos serviços que podem abrir. Questionada sobre uma previsão de reabertura dos estabelecimentos, a prefeitura de Niterói não respondeu se manifestou até o fechamento desta edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 6 =