Ex-secretário de Educação denuncia problemas estruturais em escola de Campos

Wellington Serrano –

Uma postagem no Facebook ontem gerou grande debate nas redes sociais. De autoria do ex-secretário de Estado de Educação do então governo do casal Garotinho, Cláudio Mendonça, a publicação pede esclarecimentos à Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) sobre as providências tomadas para que os alunos do Colégio Estadual Dom Otaviano, em Campos, não corram riscos, pois toda uma ala da escola está interditada e se o telhado desabar pode causar um acidente sem precedentes.

De acordo com Mendonça, que esteve na escola e confirmou a informação, os alunos estão estudando em salas improvisadas. “Ninguém faz absolutamente nada. Vão começar os temporais de final de ano daqui a pouco”, declarou.

A professora do colégio, Mariângela Diz, disse que a escola está desde agosto aguardando o início das obras. “Já foi feita toda a avaliação e esperamos ansiosos pelo início da obra. Estamos de forma adaptada mantendo nossas atividades, prezando pela qualidade do nosso ensino. Mas precisamos de toda a nossa escola funcionando para que possamos continuar o nosso trabalho com dignidade”, afirmou Mariângela.

A moradora de Campos dos Goytacazes, Marcelly Paes, lamentou a situação e pediu o apoio de todos para chamar a atenção da Seeduc. “Não podemos deixar essa escola acabar. Ela é bem conceituada no bairro. Não podemos esperar o pior acontecer, temos que fazer agora”, lamentou.

“Vamos passar os 200 compartilhamentos, muita gente em lugares estratégicos e com competências especiais já foram acionadas graças ao esforço de todos. Se a obra não começar até hoje, quando eu desembarco de Brasília, vou na Seeduc. Vamos entender o problema e falar com quem de direito. Apresentarei um ofício da escola reiterando, com cópia para o Ministério Público Estadual (MPE-RJ), no caso de termos de ser enérgicos, o que duvido muito que seja necessário”, acrescentou Mendonça.
Procurada, a Seeduc não se manifestou até o fechamento desta edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *