Homem é suspeito de matar a ex-sogra e enterrar corpo no quintal

Com base em depoimentos de testemunhas, a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) pode pedir a prisão do ex-genro da idosa Graciete Sanches da Silva, de 68 anos, cujo corpo foi encontrado na sexta-feira (11), enterrado no quintal da própria residência, no bairro Granjas Cabuçu, em Itaboraí. Graciete estava desaparecida desde o dia 1º de outubro, quando havia avisado que iria para a igreja, na Zona Norte do Rio. O Disque denúncia chegou a divulgar cartaz com foto da idosa.

O corpo da vítima foi encontrado por um cunhado, no terreno onde ex-genro estava trabalhando, inclusive com grama recém-plantada. O cadáver já estava em estado de decomposição. Peritos da Polícia Civil estiveram no local, e a DHNSG abriu procedimento para investigar o crime. Para a ex-esposa do principal suspeito não há dúvidas sobre a autoria do assassinato, pois segundo ela, o ex-marido teria feito ameaças e até anunciado que a família teria “uma surpresa”.

Daisy Sanches afirmou nas redes sociais que ele teria dormido cinco dias antes do crime, em frente à casa da vítima, logo após o desaparecimento de sua mãe, e depois teria fugido sem manter mais contato com ela ou com os filhos de outro relacionamento. O ex-marido de Daisy teria feito ameças de morte contra ela, o que levou ela a se mudar.

“Amigos, venho agradecer a cada um de vocês que incansavelmente compartilharam a foto da minha mãe para ser encontrada. Não deu certo, porque um desgraçado do inferno tirou a vida da minha mãe cruelmente com o único intuito de se vingar de mim, tirar o meu chão, e me fazer sentir culpada para o resto da minha vida. Infelizmente a nossa justiça é falha e nem com todos os índices, esse monstro ficou preso”, publicou Daisy, nas redes sociais. A DHNSG afima que realiza incursões para esclarecer o crime. De acordo com a Delegacia de Homicídios de Niterói de São Gonçalo, confirmou que exames periciais já foram realizados e os familiares foram ouvidos. “A diligências seguem em andamento para apurar a autoria e materialidade do fato”, resumiu a especializada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − oito =