Evento na Reitoria da UFF promete alcançar 50 mil pessoas

Quem está passando pela reitoria da Universidade Federal de Niterói (UFF), em Icaraí, está acostumado a admirar o jardim e o belo relógio que são emblemas da faculdade na cidade. Mas até o próximo dia 18 de setembro o cenário está bem diferente com o Festival Nacional de Cultura Popular – Interculturalidades. O prédio está todo iluminado e a parte externa com palcos, shows, palestras, debates e muitas atividades culturais que estão movimentando o gramado com apresentações gratuitas.

O evento é organizado pelo Centro de Artes UFF, faz parte da Maratona Cultural, e tem apoio do Ministério da Cultura. Segundo nota da universidade a programação promove a junção das várias culturas brasileiras: do maracatu ao frevo e do samba ao funk. Serão cortejos, shows, peças teatrais, cinema, artes visuais e rodas/mesas de saberes que mostram um Brasil de tradições, religioso, festeiro, além de múltiplo e ao mesmo tempo singular. “O público recebeu muito bem esse evento que é muito rico e mostra a dinâmica da cultura brasileira”, explicou o superintendente do Centro de Artes UFF Leonardo Guelman.

A tarde a maratona cultural contou com o debate Profano e Sagrado, com presença de Luiz Antonio Simas (historiador), Luiz Rufino (mestre em educação) e Wallace de Deus (professor da UFF e curador do Museu Janete Costa, de Niterói). A discussão abordou o tema com explicações da fusão das religiões, mistérios da fé e festa como celebração. Na noite de ontem o show Multiversos contou com Leoni, que se apresentou no Teatro da UFF, por conta da acústica o show foi realocado do jardim para dentro do teatro, e o compositor apresentou três canções inéditas. Além da apresentação Dança de São Gonçalo, do povoado de Sergipe que reproduz a dança do santo, que segundo mitologia, tocava viola para as prostitutas dançarem e não fazerem programas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 1 =