Estudante precisa de ajuda para cirurgia e não ficar cega

Aos 21 anos, a estudante Thaíza Silva de Queiroz, descobriu que precisa fazer urgente uma cirurgia de ceratocone córnea, que custa R$ 11,8 mil para não ficar cega. Ela disse que exames com seu oftalmologista mostraram que a cada dia o grau dos óculos cada vez aumenta. Como no Sistema Único de Saúde (SUS) provavelmente ela teria que entrar em fila de espera e é urgente, sua família e seus amigos estão vendendo doces e adesivos no Centro de Alcântara. A estudante, que mora na Lagoinha, é filha de um motorista de lavanderia e de uma dona de casa.

A cirurgia de Thaíza é para evitar o aumento da curvatura de forma irregular que fica em formato de cone, e, segundo ela, se encontra em um estágio limite e só dá para ser paga através dos “patrocínios”. Ela operou uma vista essa semana e está para operar a outra semana que vem.

A ideia é que o valor conseguido na plataforma de financiamento coletivo, R$ 11.800,00, sirva justamente para pagar o valor que ela usou no cartão e agora conta com as doações para conseguir pagá-lo. A cirurgia é feita na rede particular. A ajuda veio então por meio da plataforma https://www.vakinha.com.br/vaquinha/640061 e suas amigas tiveram um papel essencial nessa trajetória.

Religiosos da Igreja Evangélica Lado a Lado, em São Miguel, se uniram para auxiliar a causa. Um grupo de amigas vendeu rifas para ajudar Thaíza, que é baterista de uma outra denominação, enquanto outras providenciaram doces e adesivos para arrecadar patrocínios que serão totalmente doado à Thaíza Silva.

Márcia Rodrigues amiga da igreja, contou que ela e as amigas reagiram rápido ao saberem que a Thaíza precisava da operação. “Não tivemos tempo a perder. A gente sabe que ela está numa idade que precisa ver o mundo como ele é”, disse.

Com um cartaz na mão com os dizeres “Seja um patrocinador da cura”, a estudante Rayssa Gomes é só elogios a Thaíza. “Minha amiga querida, ela é um anjo”. Ela não teve problemas para ir às ruas vender o pingo de leite. “Sou muito politizada e temas de caridade, inclusão e voluntariado, estão presentes no meu cotidiano por eu amar o próximo”, disse Rayssa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *