Estudante de Niterói se classifica para olimpíada internacional de matemática

O estudante do segundo ano do ensino médio de um importante colégio de Icaraí, Luís Felipe Giglio, se classificou para a edição 2021 da Olimpíada de Matemática do Cone Sul. O evento, que está em sua 32ª edição e esse ano será realizado na modalidade virtual, acontece no período de 28 de novembro a 4 de dezembro.

A olimpíada é uma competição internacional de matemática realizada desde 1988 da qual participam os países da porção meridional da América do Sul, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai. Para participar, é preciso que sejam formadas equipes de quatro estudantes que não tenham completado 16 anos até 31 de dezembro do ano imediatamente anterior à realização da olimpíada.

Luís Felipe explica que sua paixão pela matemática começou ainda criança, quando tinha apenas 6 anos.

“Eu gostava de fazer contas grandes de multiplicação na minha cabeça. Porém, só no primeiro ano do ensino médio, quando entrei no Pensi pré-militar de Icaraí, comecei a estudar a matemática de concursos mais difíceis, conseguindo rapidamente me familiarizar com sua utilização no meio militar”, afirma.

O jovem estudante relata que apenas no final de 2020, quando já cursava o primeiro ano do ensino médio, teve conhecimento da Turma Olímpica do colégio e foi lá que realmente começou a aprender matemática em nível mais avançado, na modalidade olímpica. Luís Felipe relata que aproveitou o isolamento social, durante a pandemia, para aprimorar seu conhecimento.

“Embora, na maioria dos casos, a pandemia tenha atrapalhado as pessoas, ter que ficar em casa constantemente acabou me ajudando a focar melhor nos estudos. É comum ver as propagandas dos ‘métodos infalíveis para estudar muito em pouco tempo’, porém é claro que não é assim que funciona. Para conquistar isso, eu tive que, diariamente, estudar cerca de 7 horas por dia. O ‘segredo’ para estudar para olimpíadas é fazer o máximo de questões antigas, e, se possível, encontrar pessoas para discutir os problemas”, explica o jovem estudante.

Luís Felipe confessa que seu objetivo para o ensino superior é cursar matemática pura na UFRJ, onde também pretende realizar seu mestrado. “Tenho certeza que quero dar aula de matemática para faculdades ou na preparação de alunos para olimpíadas e, talvez, seguir também carreira de pesquisador.

Segundo o coordenador das turmas da terceira série militar do Colégio Pensi (onde estuda Luís Felipe), Lucas Herlin, os alunos já podem se sentir vencedores só pela classificação.

“Como se trata de uma olimpíada internacional de matemática, isso é algo bem seleto já que apenas quatro alunos do Brasil inteiro conseguem alcançar. Somente isso já é um grande feito para nosso aluno. Ele, junto com outro aluno da unidade Tijuca também classificado, tiveram preparação intensa, primeiro para conseguirem ser premiados na olimpíada brasileira e estarem aptos a participarem da seletiva, e depois conseguirem a classificação”, destaca o coordenador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 3 =