Estudante cria ‘Delivery de Doações’ em Niterói

A pandemia do coronavírus fez com que se intensificasse a formação de redes de solidariedade. Com a devastação econômica provocada pela Covid 19, muitas famílias perderam fontes de renda e sustento, devido ao desemprego. Para reduzir um pouco dos impactos negativos, populares usam da criatividade para ajudar aqueles que mais precisam.

É o caso da estudante de direito Mariana Gameiro, moradora de Niterói. Neste ano, ao perceber que inúmeras pessoas ainda sofrem com os problemas causados pela pandemia, ela teve uma ideia que, através da interação de amigos e familiares, por meio da internet, doações de mantimentos, roupas e medicamentos são feitas em um sistema que se assemelha a um sistema de “delivery”.

A ideia funciona da seguinte forma: Mariana, por meio do WhatsApp, faz contato com aqueles que tenham alguma doação a fazer e, pela plataforma, aciona amigos e familiares que possam fazer a coleta dos itens. Também pelo WhatsApp, a estudante recebe os pedidos de doação, faz uma triagem, e seleciona as famílias que serão beneficiadas.

Iniciativa é posta em prática por meio de uma rede de solidariedade – Foto: Divulgação

“O projeto é recente. Conto com ajuda do meu irmão de coração, amigos, parentes. Que não ajudem necessariamente com doação de roupas, sapatos, medicação, mas que eu sei que vai passar por um caminho que tenha alguém que tenha uma doação para fazer, mas que eu não posso buscar, porque não tenho carro e quase não saio por conta das crianças”, explicou.

Após os beneficiados serem selecionados, a doação pode ser entregue de duas formas. É combinado um pouco, na cidade de Niterói, para que seja feita a entrega ou, caso a pessoa que irá receber tenha dificuldades com deslocamento, seja falta de dinheiro para passagem ou mesmo limitações físicas, as pessoas que fizeram a coleta fazem o “delivery” para os que irão receber.

Não há restrições para quais itens podem ser doados. As colaborações vão desde alimentos não perecíveis, passando por medicamentos, até peças de vestuário. Mariana pontua que, infelizmente, não é possível ajudar a todos, devido ás dificuldades provocadas pela Covid-19, em que famílias de todas as classes sociais passam por problemas.

Projeto é coordenado pela estudante de Direito Mariana Gameiro – Foto: Divulgação

“A gente aceita tudo, recebe todos os pedidos. A gente não promete que vai conseguir, porque está difícil para todo mundo. A gente está passando por um período de pandemia que desestruturou muitas famílias, a minha foi desestruturada também. Tive que fechar um negócio. Então a gente vai ajudando na medida que as demandas vão surgindo e a gente consegue ajudar”, pontuou.

Aqueles que desejam colaborar com o projeto ou necessitam de doações, podem entrar em contato com a Mariana, por meio do número (21) 9.6772-7320. Ela ressalta que, caso desejem, o anonimato é garantido. Além disso, ela administra um grupo, em que a rede de solidariedade está reunida, a fim de otimizar a comunicação entre aqueles que podem doar.

Além disso, a rede funciona para auxiliar pessoas que estejam necessitando de atendimento médico, intercedendo junto a autoridades de saúde. “Eu entro no circuito também em questão de saúde. Para fazer movimentos de pessoas que precisam de médico e não estão conseguindo, exames, estão em hospital mas estão passando por situação difícil”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 13 =